Avaliação dos níveis de acessibilidade em vias públicas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24979/ambiente.v15i2.1126

Palavras-chave:

Acessibilidade Urbana, Avaliação pós ocupação, Urbanismo

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo geral de avaliar e mapear os níveis de acessibilidade urbana, sendo escolhido como objeto do estudo a via pública Rua de Santa Cruz, situada na cidade do Recife/PE. Como metodologia foram utilizados dois métodos para avaliar e mapear os níveis de acessibilidade do objeto de estudo, sendo eles: o método do check-list de avaliação pós-ocupação proposto pelo “Guia para Mobilidade Acessível em Vias Públicas”, desenvolvido pela Secretaria da Habitação do Município de São Paulo (2003), que foi adaptado para a realidade da cidade do Recife/PE, indicando uma análise através de 03 (três) opções, quando preenchido “S” significa dizer que existe o item, “N” para não existe ou encontra-se em irregularidade e “NA” para não se aplica; e o método do “Espectro da Acessibilidade” descrito em Baptista (2003), o qual demonstra os diferentes níveis de acessibilidade através da utilização de cinco cores, onde “azul” representa as plenas condições de acessibilidade e o “vermelho” representa uma péssima condição acessibilidade, dessa maneira é possível reconhecer locais que se configuram como barreiras arquitetônicas. Em relação aos resultados obtidos, a aplicação do APO check-list indicou uma ausência ou falha na implantação de dispositivos de infraestruturas urbana, tais como faixas livre, rampas e piso táteis. E quanto ao mapeamento do espectro da acessibilidade, a avaliação indicou as calçadas e travessias mais precárias através de um espectro de cores. Como conclusão o presente estudo constatou-se que o mesmo espaço pode apresentar diversos níveis de acessibilidade.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Emanoel Silva de Amorim, Universidade de Pernambuco/UPE

    Arquiteto e Urbanista, Sócio/Diretor da empresa Amorim Arquitetura, Mestrando em Engenharia Civil, Especialista em: ¹Gestão de Obras e Projetos, ²Arquitetura e Patrimônio, ³Mobilidade Urbana e Transporte. Com MBA em Gerenciamento de Projetos (PMI), tem vasta experiência em coordenação de equipes multidiplinares conduzindo a gestão de ¹elaboração e licenciamento de projetos, ²fiscalização e supervisão de obras, ³manutenção e operação de empreendimentos de uso residenciais, comerciais, religiosos, institucionais, além de infraestrutura urbana.

  • Girlândia de Morais Sampaio, Universidade de Pernambuco/UPE

    Possui graduação em Engenharia Civil pelo Centro Universitário de João Pessoa - UNIPÊ (2017). Pós Graduada em Master BIM: Ferramentas e Gestão de Projeto BIM - Instituto de Pós Graduação e Graduação - IPOG. Pós Graduada em Engenharia Elétrica com ênfase em instalações residenciais - Faculdade ÚNICA. Mestranda pela Escola Politécnica de Pernambuco - Universidade de Pernambuco. Experiência na área de construção civil, com ênfase em obras verticais pequeno e grande porte, atuando como responsável técnica há dois anos na gestão de reformas e construções residenciais. 

  • Hugo Leonardo França Silva, Universidade de Pernambuco/UPE

    Arquiteto e Urbanista

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 9050: Acessibilidade de pessoas portadoras de deficiências a edificações, espaço, mobiliário e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro: ABNT, 2015.

AMORIM, E. S.; BAPTISTA, A. H. N. Aplicação da Acessibilidade Integrada no Mapa das Linhas do METROREC. In: Congresso Nacional de Pesquisa e Ensino em Transporte - ANPET XXVII, 2013, Belém/PA.

AMORIM, E. S.; GOMES, K. B. M. Avaliação dos níveis de acessibilidade em vias públicas: estudo na Rua de Santa Cruz, Recife/PE. In: XXXI Congresso Nacional de Pesquisa em Transporte da ANPET, 2017, Recife. Anais [...].

ANTONIOLI, P. H.; CAMARGO, B. Aplicação da norma: acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos NBR 9050 nas calçadas do município de alta Floresta- MT. REPOSITÓRIO DE TCC, [S.l.], maio 2022. Disponível em: http://ienomat.com.br/revista/index.php/repositorio/article/view/168. Acesso em: 10 set. 2022.

BAPTISTA, A. H. N. Procedimentos metodológicos para a avaliação da acessibilidade de estruturas de circulação de pedestre com vistas ao projeto de “antropovias”. Dissertação de mestrado, Engenharia de Produção PPGEP/UFPE Recife, p. 142, 2003.

BRASIL. Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Câmara dos Deputados, Brasília, DF, 19 dez. 2000.

BRASIL. CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO. Código de Trânsito Brasileiro: instituído pela Lei nº 9.503, 23 de outubro de 1997. 3. ed.- Brasília: DENATRAN, 2008.

CARVALHO, R. B.; SILVA, J. C.; CASTRO, D. R. C. Análise sobre a percepção dos pedestres quanto as condições de acessibilidade e mobilidade urbana dos passeios e calçadas do município de Abaetetuba, Pará, Brasil. Research, Society and Development, v. 11, n. 8, 2022.

CRUZ, T. A.; NICOLETTI, L. P.; CARDOSO, V. D. A concessão da carteira nacional de habilitação para pessoas com deficiência. Ambiente: Gestão e Desenvolvimento, [S. l.], v. 14, n. 2, 2021. DOI: 10.24979/ambiente.v14i2.1015. Disponível em: https://periodicos.uerr.edu.br/index.php/ambiente/article/view/1015 Acesso em: 16 dez. 2022.

DROUBI, L. F. P. A Economia e as Cidades: Os desafios e as possibilidades para a política urbana no século XXI. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Transportes e Gestão Territorial) -– Centro Tecnológico, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, p 286, 2022.

VERGARA, L. G. L.; MERINO, G. S. A. D.; MERINO, E. A. D.; TISSOT, J. T.; MODESTI, I. B. Usabilidade do espaço público: a percepção ao risco de quedas em usuários idosos no município de Balneário Camboriú / SC. Revista Projetar Projeto e Percepção do Ambiente, 5(3), 64-78, 2020.

RODRIGUES, A. P.; AMORIM, E. S. Conceitos, argumentos, estratégias, métodos, técnicas e problemáticas envolvendo a implantação da sinalização de orientação turística em sítios históricos. Revista Hospitalidade, 15(1), 180–197. https://doi.org/10.21714/2179-9164.2018v15n1.805

Downloads

Publicado

30/12/2022

Edição

Seção

Ciências Socialmente Aplicadas

Categorias

Como Citar

Avaliação dos níveis de acessibilidade em vias públicas. Ambiente: Gestão e Desenvolvimento, [S. l.], v. 15, n. 2, p. 54–60, 2022. DOI: 10.24979/ambiente.v15i2.1126. Disponível em: https://periodicos.uerr.edu.br/index.php/ambiente/article/view/1126.. Acesso em: 14 jul. 2024.

Artigos Semelhantes

1-10 de 103

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)