EDUCAÇÃO INTEGRAL NO BRASIL SOB A ÓTICA DA POLÍTICA EDUCACIONAL

Autores

  • Josias Ferreira da Silva Universidade Estadual de Roraima/UERR

DOI:

https://doi.org/10.24979/ambiente.v13i2.799

Palavras-chave:

Educação Integral, Políticas educacionais, Escola de Tempo Integral, Formação Docente

Resumo

Este artigo se propõe delinear como a educação de tempo integral no Brasil encontra-se estruturada, sob a ótica das políticas públicas sobre a educação integral brasileira. Seu objetivo é discutir se de fato ocorre melhoria na qualidade da educação com essa modalidade de ensino. A metodologia utilizada se embasa numa revisão bibliográfica fundamentada no ECA (1990), CF/1988, LDB 9.394/1996, PNE 13.005/2014, Plano de Desenvolvimento da Educação - Compromisso Todos pela Educação - Decreto n. 6.094/2007, Programa Mais Educação - Portaria Normativa Interministerial n. 17 de 24/04/2007; Decreto 7.083/2007; Decreto nº 6.253/2007 (FUNDEB); Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica (DCN) e a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). O embasamento teórico aborda autores que tratam da escola de período integral, da progressão continuada, da política da educação brasileira, destacando: Aguilar (2013), Azevedo (1997), Ball e Mainardes (2011), Barreto (2009), Chaves (2002), Coimbra (2002), Jann e Wegrich, (2007), Jeffrey (2011, 2012, 2013, 2015), Menezes e Leite (2012), Nunes (2000), dentre outros. Por fim, este artigo comprova que é possível proporcionar uma educação de tempo integral de excelência, de modo a tornar-se referência no modelo de gestão em educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Josias Ferreira da Silva, Universidade Estadual de Roraima/UERR

PÓS DOUTORADO EM EDUCAÇÃO FE/UNICAMP - 2018/2019 - TÍTULO - Implantação da Escola de Aplicação de Tempo Integral e do Campus de Excelência da UERR. ESTÁGIO PÓS DOUTORAL (2019) na UNC/Universidad Nacional de Córdoba - UBA/Universidad de Buenos Aires - UNM/Universidad Nacional de Moreno. DOUTORADO/FEF/UNICAMP (2010). Título da Tese - Métodos de Avaliação em Educação Física no Ensino Fundamental. MESTRADO EM EDUCAÇÃO/PUC-Campinas, SP. (2000) - Título da Dissertação: Dinâmica de Aula e Avaliação no Cotidiano de uma 5ª Série do Ensino Fundamental. PSICOPEPAGOGO/Faculdade Plínio Augusto Amaral/SP. (1998). GRADUADO EM PEDAGOGIA/Faculdade Renascença/SP. (1994). GRADUADO EM LETRAS/Faculdade Renascença/SP. (1992). Professor Efetivo/UERR - Universidade Estadual de Roraima, Campos de Boa Vista (2010). Atuou nas funções: Coordenador Área Ciências Humanas/UERR (2011-2013); Coordenador Curso Pedagogia/UERR (2012/2013); Coordenador Projeto CAPES:/ Novos Talentos da UERR - da Ciência à Cidadania. (2010-2013); Presidente CAI/UERR - Comissão de Avaliação Institucional (2017); Diretor Departamento Pós-Graduação/UERR (2016); Diretor Departamento de Ensino e Graduação/UERR (2017); Presidente do Projeto/UERR/do Curso de Pedagogia do Campo (2010); Membro da comissão de revisão do Curso de Formação de Oficiais PM - Boa Vista/RR (2011); Docente do Mestrado Ensino de Ciências/UERR disciplinas Avaliação da Aprendizagem no Ensino de Ciências e Novas Tecnologias para o Ensino de Ciências, Avaliação Critérios e Processos. Docente Mestrado Segurança Pública - disciplinas Fronteira e Territórios, Escrita Científica. Coordenador do Curso de Pós Graduação de Gestão Do Ensino Superior/UERR (2017). Orientação de dissertação no Mestrado; Monografias na Especialização e TCC na Graduação da UERR. No Curso de Pedagogia lecionou as disciplinas: Educação de Jovens e Adultos, Psicologia Educacional, Ética na Educação, Teoria Curricular, Políticas Públicas na Educação Básica, Comunicação Oral e Escrita, Sociolinguística, Fonética e Fonologia e no PARFOR, segunda licenciatura de Letras. Atuou no Ensino Superior em diversas instituições privadas como professor de Didática, Comunicação e Expressão; Técnicas de Apresentação e Comunicação Oral e Língua Portuguesa, Leitura e Interpretação de Textos, nos cursos de: Pedagogia Magistério da Educação Infantil e Séries Iniciais. Na FAP - FACULDADES POLITEC, Santa Barbara D'Oeste/SP (2009/2010), lecionou nos cursos de Redes de Computadores, Sistemas de Informação, Engenharia de Controle de Automação, Administração de Empresas, Tecnologia em Gestão da Qualidade, Educação Física. Atuou como professor da Universidade UNIDERP/Anhanguera, responsável pelos Cursos de Letras e Pedagogia, no pólo de Hortolândia/SP. (2007/2008). Implantou os cursos de Letras: Português Inglês e Português Espanhol na FAP - Faculdades Politec - Americana (2007-2008). Atuou como Coordenador do Curso de Pedagogia da Faculdade IESCAMP - Campinas/SP e foi professor das disciplinas: Linguagem e Comunicação no Curso de Pedagogia e de Comunicação Empresarial no Curso de Administração (2007-2008). Atuou como professor titular na Faculdade ASMEC (Ouro Fino/MG: 2003-2005), nos Cursos de Pedagogia, Letras e Geografia, das disciplinas: Didática I, II e III; Metodologia Científica; TCC; Sociologia; Antropologia Física e Cultural e Políticas Educacionais. Trabalhou na PUC-Campinas/SP, na CAINST - Comissão de Avaliação Institucional 2000/2001. Atuou como professor de Português e Inglês, na rede pública estadual de São Paulo e em Escola Particular, no Ensino Fundamental e Médio de 1992 a 2010. Professor de Literatura - Ensino Médio, do Colégio Politec Americana/SP (2009). Atuou como Diretor da Escola Renascença, Ensino Fundamental e Médio, em Brasília/DF. (1994-1997). Diretor da Escola de Educação Infantil Luz do Saber, Campinas/SP de 1998 a 2010.

Referências

AGUILAR, A política educacional soba a ótica da análise satisfatória: Ensaios. Campinas, SP: Edições Leitura Crítica, 2013.

AQUINO, Juliana M. A ampliação da jornada escolar melhora o desempenho acadêmico dos estudantes? Uma avaliação do programa Escola de Tempo Integral da rede pública do Estado de São Paulo – Juliana Maria de Aquino – Tese de doutorado em ciências, área de concentração: economia aplicada – USP – Piracicaba/2011.

ARAÚJO, Thays R. Que Tempo Temos? Estudo Sobre a Organização do Trabalho Docente e o Tempo Escolar. Dissertação Mestrado Educação UFR, 2008.

AZEVEDO, Janete M. Lins de. A educação como política pública. Campinas: Autores Associados, 1997.

BALL, Stephen J.; MAINARDES, Jefferson (orgs). Políticas educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011.

BARRETTO, E. S. Perspectivas teóricas e metodológicas da pesquisa em política educacional na atualidade. Estudos em Avaliação Educacional. n. 44, p. 493-506, set/dez 2009.

BRASIL, ABEB - Anuário Brasileiro da Educação Básica. Disponível em: https://www.todospelaeducacao.org.br/_uploads/_posts/302.pdf Acesso em: 25.08.2019.

BRASIL, Estatuto da Criança e do Adolescente, 1990.

BRASIL, Constituição Federal de 1988. Brasília: Senado, 1988.

BRASIL, Lei de Diretrizes e Bases da Educação, nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996.

BRASIL, Plano de Desenvolvimento da Educação - PNE - Compromisso Todos pela Educação – Decreto n. 13.005/2014.

BRASIL, Plano de Desenvolvimento da Educação - Compromisso Todos pela Educação - Decreto n. 6.094/2007.

BRASIL, Programa Mais Educação – Portaria Normativa Interministerial n. 17 de 24/04/2007.

BRASIL, Decreto nº 6.253, de 13 de novembro de 2007. Dispõe sobre o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação - FUNDEB, regulamenta a Lei no 11.494, de 20 de junho de 2007, e dá outras providências.

BRASIL, Lei nº 13.005, de 25 junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências.

CEI - Centro de Referência em Educação Integral – “Promover uma revisão do currículo da rede municipal ou estadual, seja para adequá-lo à Base Nacional Comum Curricular”. Disponível em:

https://educacaointegral.org.br/metodologias/como-construir-uma-politica-curricular-alinhada-a-educacao-integral/ Acesso em: 30/06/2019.

CHAVES, M. W. Educação integral: uma proposta de inovação pedagógica na administração escolar de Anísio Teixeira no Rio de Janeiro doa anos 30. In: COIMBRA, L. M. C.C; CAVALIERE, A. M (org.). Educação Brasileira e (m) tempo integral. São Paulo: Vozes, 2002, p. 43-59.

CHEROTI, Aparecida C. Fernandes - Um Estudo de Concepções e Experiências de Educação Integral em Municípios Paulistas - Aparecida do Carmo Fernandes Cheroti - Dissertação de Mestrado UFSCAR/2019.

COIMBRA, L. M. C.C; CAVALIERE, A. M (org.). Educação Brasileira e (m) tempo integral. São Paulo: Vozes, 2002, p. 13-42.

ELIAS, N. Sobre o tempo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1998.

JANN, W; WEGRICH, K. Theories of policy cicle. In: FISHER, F; MILLER, G. J; SIDNEY, M (edit). Handbook of public policy analysis: theory, politics, and methods. New York: CRC Press/Taylor & Francis Group, 2007, p. 42-62.

GADOTTI, M. Inovações Educacionais. Educação integral, integrada, integradora e em tempo integral. São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2008, mimeo.

___________. Educação integral no Brasil: inovações em processo. São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2009.

JEFFREY, Debora Cristina. O regime de progressão continuada: o caso paulista (1998-2004). São Paulo: Editora Unesp, 2011.

_________. Política Educacional Brasileira análises e entraves (Níveis e Modalidades). Campinas, SP : Mercado das Letras, 2012.

JEFFREY, Debora Cristina; AGUILAR, Luis Enrique (org). Balanço da Política Educacional Brasileira (1999-2009): Ações e programas. 1. ed. Campinas, SP : Mercado das Letras, 2013.

JEFFREY, Debora Cristina. (org). Política e Avaliação Educacional: interfaces com a epistemologia. 1. ed. Curitiba, PR: CRV, 2015.

MANIFESTO DOS PIONEIROS DA EDUCAÇÃO NOVA, 1932 In: Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. especial, p.188–204, ago. 2006 - ISSN: 1676-2584 190, disponível em:

http://www.histedbr.fe.unicamp.br/revista/edicoes/22e/doc1_22e.pdf, acesso em 24 de ago. 2013.

MENEZES, J. S. S.; LEITE, L.H.A. Educação integral & tempo integral na educação básica: da LDB ao PDE. In: Educação integral em tempo integral: estudo e experiências em processo/ Lígia Martha C. Costa Coelho (org.), Petrópolis, RJ: DP et Alii; Rio de Janeiro: FAPERJ, 2009.

________. Ampliação da jornada escolar em municípios brasileiros: políticas e práticas. Em Aberto, Brasília, v.25, n.º 88, p. 1- 214, jul./dez.2012.

NUNES, Clarice. “Anísio Teixeira entre nós: a defesa da educação como direito de todos”. Educ. Soc., Campinas, v. 21, n. 73, p. 9-40, dez. 2000. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010173302000000400002&lng=pt&nrm=iso>. acessos em 15 ago. 2013. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-73302000000400002.

PARO, V. Educação integral em tempo integral: uma concepção de educação para a modernidade. In: Educação integral em tempo integral: estudo e experiências em processo/ Lígia Martha C. Costa Coelho (org.), Petrópolis, RJ: DP et Alii; Rio de Janeiro: FAPERJ, 2009.

ROSA, Alessandra V. Nascimento. Educação integral e(m) tempo integral: espaços no Programa Bairro – Escola, Nova Iguaçu - RJ / Alessandra Victor do Nascimento Rosa. Dissertação de Mestrado em Educação – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.)

SAVIANI, Demerval. Escola e Democracia: teorias da educação, Curvatura da vara e onze teses sobre educação e política. São Paulo: Cortez, 1989.

SILVA, Josias Ferreira da. Métodos de avaliação em Educação Física no ensino fundamental. Tese (doutorado) – FEF, Universidade Estadual de Campinas. 2010.

SCHÖN, Donald. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2000.

Secretaria de Educação Básica do MEC - Caminhos para Elaborar uma Proposta de Educação Integral em Jornada Ampliada, Bairro-Escola - Rio Vermelho, Associação Cidade Escola Aprendiz - 29 de agosto de 2013 - disponível em: www.educacaointegral.org.br.Acesso Acesso em: 25/08/2019.

Downloads

Publicado

2020-10-13

Como Citar

SILVA, J. F. da. EDUCAÇÃO INTEGRAL NO BRASIL SOB A ÓTICA DA POLÍTICA EDUCACIONAL. Ambiente: Gestão e Desenvolvimento, [S. l.], v. 13, n. 2, p. 81-90, 2020. DOI: 10.24979/ambiente.v13i2.799. Disponível em: https://periodicos.uerr.edu.br/index.php/ambiente/article/view/799. Acesso em: 28 out. 2020.