Levantamento de dados espaciais da bacia do Rio Cauamé em apoio ao Ministério Público Estadual no inquérito civil – Nº 025a/11/PJMA/2ºTIT/MP/RR

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24979/ambiente.v15i1.1081

Palavras-chave:

Bacia do rio Cauamé., Área de Expansão Urbana., Área de inundação gerorreferenciada., Enchente histórica de 2011.

Resumo

O Ministério Público do Estado de Roraima, por meio da Promotoria de Defesa do Meio Ambiente, abriu Procedimento de Investigação Preliminar para apurar a situação de ausência de políticas públicas sobre o ordenamento urbano da capital, em razão dos problemas de alagamentos na área urbana do município de Boa Vista. O presente trabalho teve por objetivo a elaboração de um relatório técnico para subsidiar decisões do Ministério Público Estadual, no tocante ao Inquérito Civil. A metodologia utilizada a partir de dados espaciais da bacia do rio Cauamé (mapas de altitude, rede de drenagem e estradas) para delimitar por coordenadas geográficas e registrar em mapa o atual nível de maior cheia dos rios e igarapés da área urbana de Boa Vista, além da previsão de duplicação da ponte sobre rio Cauamé (BR-174) e seus possíveis efeitos na Área de Expansão Urbana – AEU de Boa Vista, considerando a máxima cheia de 2011. Como resultado, modelagem da área de alagamento, considerando a cota limnométrica de 10,28 m da grande cheia de de 2011, associada com a cota 00 LMEO do rio Branco e o mapa de altitude, que forneceram subsídios para o conhecimento da interação entre os elementos (APPs, matas de galeria e áreas alagáveis) que sofrem a influência das cheias dos rios Branco e Cauamé na área de expansão urbana de Boa Vista.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Robson Oliveira de Souza, Universidade Estadual de Roraima/UERR

    Doutorado em Ciências Pesqueiras nos Trópicos pelo Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências Pesqueiras nos Trópicos, Área de Concentração em Uso Sustentável de Recursos Pesqueiros Tropicais da Universidade Federal do Amazonas - UFAM (2019). Mestrado em Agronomia pelo Curso de Pós-Graduação em Agronomia, Área de Concentração em Produção Vegetal da Universidade Federal de Santa Maria - UFSM (1995). Graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria - UFSM (1986). Professor Titular do Curso de Agronomia da Universidade Estadual de Roraima - UERR. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Defesa Fitossanitária, atuando principalmente no seguinte tema: qualidade da água na aplicação de defensivos agrícolas e controle de Plantas Daninhas. Além do conhecimento na área pesqueira com o tema Capacidade de Carga de Pesca Esportiva, visando minimizar os danos ambientais causados pela pesca nas áreas naturais, como no rio Água Boa do Univini, no estado de Roraima. 

  • Paulo Eduardo Barni, Universidade Estadual de Roraima/UERR

    Engenheiro Florestal graduado pela Universidade Federal do Amazonas (2007), mestre em Ciências de Florestas Tropicais - CFT, pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - INPA/Manaus (2009) e doutor em CLIMA e AMBIENTE, pelo INPA e Universidade Estadual do Amazonas - UEA (2014). Seu interesse em pesquisa inclui modelagem ambiental e climática, com ênfase no comportamento do fogo florestal de sub-bosque, queimadas, simulações de desmatamento, recuperação de áreas degradadas, biomassa de capoeiras, estocagem e emissões de carbono florestal para a atmosfera. É professor da Universidade Estadual de Roraima - UERR, Campus Rorainópolis, Região Sul do Estado de Roraima, onde reside desde outubro de 2011. E-mail institucional: pbarni@uerr.edu.br

  • Lúcio Keury Almeida Galdino, Universidade Estadual de Roraima/UERR

    Possui Graduação em Licenciatura Plena em Filosofia pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (2004), Graduação em Curso de Formação de Professores (CFP) em Habilitação em Regime Especial (HRE) - Licenciatura Plena em História e Geografia pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (2005), Mestrado em Geografia pela Universidade Federal do Ceará (2007), Doutorado em Geografia pela Universidade Federal do Ceará (2017) e Pós-Doutorado em Geografia com ênfase na Cartografia Social e Arranjos Produtivos Locais pela Universidade Federal do Ceará (2020). Professor Doutor nível I da Universidade Estadual de Roraima. Fundador e (ex) Editor-chefe da Revista Eletrônica Casa de Makunaima da Universidade Estadual de Roraima-UERR (2020). Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Humana, atuando principalmente nos seguintes temas: Cultura, Índios, Política, Território, Educação, Meio Ambiente, Terra Indígena, Diagnóstico e Planejamento Socioambiental.

Referências

ANA - Agencia Nacional de Águas. Rede Hidrometeorológica Nacional. Disponível em: < https://dadosabertos.ana.gov.br/datasets/8014bf6e92144a9b871bb4136390f732_0/data?geometry=-93.448%2C-7.226%2C-26.695%2C8.108>. Acesso em: 7 mai. 2021.

Araújo Júnior, A.C.R.; Tavares Júnior, S.S. Uso e cobertura do solo para o planejamento urbano, Boa Vista, Roraima, Brasil. Boletim Goiano de Geografia (Online). Goiânia, v. 37, n. 1, p. 36-55. 2017. https://doi.org/10.5216/bgg.v37i1.46242.

Araújo Júnior, A.C.R.; Tavares Júnior, S.S. Expansão urbana e fatores de risco à inundação em Boa Vista – RR. Ra’e Ga. Curitiba, v.44, p. 139 -153. 2018. https://revistas.ufpr.br/raega/article/view/49680/35359.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE divulga relação dos municípios na faixa de fronteira. 2020. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/28009-ibge-divulga-relacao-dos-municipios-na-faixa-de-fronteira#:~:text=a%20fronteira%20brasileira%20com%20os,%2c6%25%20do%20territ%c3%b3rio%20brasileiro . Acesso em: 3 mai. 2021.

______. Presidência da República. Casa Civil. Código Florestal. Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012. nov. 2012. Disponível em:< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12651.htm >. Acesso em: 4 mai. 2021.

______. Instrução Normativa Nº 67, de 3 de agosto de 2020. Estabelece os critérios e procedimentos para a demarcação de terrenos marginais e seus acrescidos, naturais ou artificiais, por meio da determinação da posição da Linha Média das Enchentes Ordinárias - LMEO e da Linha Limite dos Terrenos Marginais - LLTM. Diário Oficial da União, Brasília. Disponível em: https://in.gov.br/web/dou/-/instrucao-normativa-n-67-de-3-de-agosto-de-2020-272512995 . Acesso em: 11 mai. 2022.

Dent, B.D.; Torguson, J.; Hodler, T. Cartography: Thematic Map Design. Second edition. Dubuque, IA: William C. Brown. 448 pp. 1990.

Falcão, M.T.; Burg, I.P.; Costa, J.A.V. Expansão urbana de Boa Vista / RR e os reflexos sobre os recursos hídricos. Revista Equador (UFPI), v. 4, n. 2, p. 98 – 113. 2015. http://www.ojs.ufpi.br/index.php/equador.

______.; Oliveira, S.KS. Impactos na paisagem da microbacia do igarapé Carrapato decorrentes da ocupação, zona rural de Boa Vista – Roraima. Ambiente: Gestão e Desenvolvimento, v. 14, n. 1, p. 38-45. 2021. https://periodicos.uerr.edu.br/index.php/ambiente/article/view/911.

Lira, G.M.; Falcão, M.T.; Amorim, E.L.; Fortes, F.C.A.; Souza, L.M. Analysis of the Impact of Implementation of a Risk-Flood Retention Basin. International Journal of Advanced Engineering Research and Science, v. n. 1. p. 95-102. 2020. https://dx.doi.org/10.22161/ijaers.71.12.

Oliveira, J.S.; Carvalho, T.M. Vulnerabilidade aos impactos ambientais da bacia hidrográfica do rio Cauamé em decorrência da expansão urbana e uso para lazer em suas praias. Revista Geográfica Acadêmica, v.8, n.1. p. 61-80. 2014.

Sander, C.; Wankler, F.L.; Evangelista, R.A.O.; Moroga, C.H.; Teixeira, J.F.S. Cheias do Rio Branco e eventos de inundação na cidade de Boa Vista, Roraima. Acta Geográfica, 6 (12): 41-57. 2012.

Sayão, L.F. Modelos teóricos em ciência da informação – abstração e método científico. Ciência da informação, v. 30, n. 1, p. 82-91. 2001. https://www.scielo.br/pdf/ci/v30n1/a10v30n1.pdf.

Slocum, T.A. Thematic Cartography and Visualization. Upper Saddle River, NJ: Prentice Hall. 1999.

Tucci, C.E.M. Inundações e Drenagem Urbana. In: TUCCI, C.E.M.; BERTONI, J.C. (Org.). Inundações Urbanas na América do Sul. Associação Brasileira de Recursos Hídricos, 2003. pp. 45-129.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE RORAIMA. Reitoria. PORTARIA Nº 56/UERR/CUNI/REIT/GAB, DE 27 DE JANEIRO DE 2021. Designa Comissão de apoio ao Ministério Público do Estado de Roraima sobre o levantamento da bacia do Rio Cauamé. Boa Vista, 2021.

Downloads

Publicado

28/07/2022

Edição

Seção

Ciências Exatas e Agrárias

Categorias

Como Citar

Levantamento de dados espaciais da bacia do Rio Cauamé em apoio ao Ministério Público Estadual no inquérito civil – Nº 025a/11/PJMA/2ºTIT/MP/RR. Ambiente: Gestão e Desenvolvimento, [S. l.], v. 15, n. 1, p. 49–61, 2022. DOI: 10.24979/ambiente.v15i1.1081. Disponível em: https://periodicos.uerr.edu.br/index.php/ambiente/article/view/1081.. Acesso em: 14 jul. 2024.

Artigos Semelhantes

1-10 de 328

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)