Proposta de uma sequência didática para abordar os temas transversais saúde e cidadania com estudantes do ensino fundamental na Feira do Passarão, Boa Vista, Roraima

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24979/ambiente.v14i3.1051

Palavras-chave:

Momentos pedagógicos, Espaço não formal, Resíduos orgânicos, Vulnerabilidade Social

Resumo

O presente trabalho apresenta a avaliação de uma sequência didática norteada pelos Três Momentos Pedagógicos, para abordar o conteúdo poluição: resíduos orgânicos – dentro dos temas transversais Saúde e Cidadania, com estudantes do 6º ano do Ensino Fundamental Anos Finais. A sequência foi desenvolvida durante a disciplina Espaços Não-Formais no Ensino de Ciências, do curso de Mestrado Profissional em Ensino de Ciências da Universidade Estadual de Roraima (UERR) e buscou avaliar também o potencial da Feira do Passarão (FP) enquanto espaço não formal de ensino. A pesquisa de natureza qualitativa descritiva teve como instrumento de coleta de dados, visita à feira e aplicação de questionário a dez estudantes. Na visita inicial, percebeu-se a vulnerabilidade social de alguns estudantes, uma vez que a escola se localiza próximo ao Centro Socioeducativo da capital Boa Vista. No entanto, a participação foi muito positiva tanto dos estudantes quanto da professora de Ciências e equipe gestora. A visita na FP contribuiu com a abordagem do conteúdo Poluição: Resíduos Orgânicos desenvolvida em sala de aula, e a FP se mostrou como um espaço para promover a aprendizagem sobre esta e outras temáticas, tendo em vista que o local fica a três minutos da escola e faz parte da comunidade. Os estudantes sentiram-se à vontade para entrevistar os feirantes que fizeram suas colocações quanto aos pontos positivos e negativos em relação ao cotidiano do trabalho deles.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivanise Maria Rizzatti, Universidade Federal de Roraima/UFRR

Possui graduação em Bacharelado em Química e Química Tecnológica (2000) e Licenciatura em Química (2003) pela Universidade Federal de Santa Catarina, mestrado (2003) e doutorado (2007) em Química pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente é professor doutor nível IV da Universidade Estadual de Roraima. Tem experiência na área de Química, atuando principalmente nos seguintes temas: Ensino de Química, divulgação científica, espaços não formais e Educação Ambiental. e com menor ênfase em análise de metais em amostras ambientais e monitoramento de indicadores de qualidade de água, É Coordenadora Adjunta dos Programas Profissionais da Área de Pós-Graduação em Ensino na CAPES (2018-2022).

Referências

ABÍLIO, F. J. P. (Org.) Educação ambiental e ensino de ciências. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, p. 410, 2010.

AULER, D. Enfoque ciência-tecnologia-sociedade: pressupostos para o contexto brasileiro. Ciência e Ensino, v. 1, n. especial, nov. 2007.

BARBOSA, G.; DE OLIVEIRA, C. T. Educação Ambiental na Base Nacional Comum Curricular. REMEA, 37(1), p. 323–335, 2020. Disponível em: https://periodicos.furg.br/remea/article/view/11000. Acesso em: 10 de abr. de 2021.

BRANDO DA ROCHA, F.; PALHACI PLÁCIDO, T.; CALDEIRA DE, A. Proposta didática para o ensino de ecologia. Enseñanza de las Ciencias, n. Extra, p. 1776-1781, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 9394 de 20 de dezembro de 1.996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: MEC, 1996

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: ciências naturais/Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais: ensino médio. Brasília: Ministério da Educação, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF, 2017. Disponível em: < http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/02/bncc-20dez-site.pdf>. Acesso em: 10 de abr. de 2021.

CHAVES, R. C. C.; RIZZATTI, I. M.; SOUZA, J. S.; CARDOSO, F. S. A. O Parque Augusto Germano Sampaio enquanto espaço não formal de educação e a alfabetização científica de estudantes da educação infantil. Latin American Journal of Science Education, v. 4, n. 2, 2017.

DE MORAIS, C. S.; FERREIRA, H. S. A Educação Não-Formal para a Promoção da Cultura Científica e Tecnológica no Ensino de Química e das Ciências. Revista debates em ensino de química, v. 2, n. 2, p. 45-55, 2016.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A. Física. São Paulo, Cortez, 1990.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A. P.; PERNAMBUCO, M. M. C. Ensino de Ciências: fundamentos e métodos. São Paulo, Cortez, 2002.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A. P.; PERNAMBUCO, M. M. C. A. Ensino de Ciências: Fundamentos e Métodos. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

FREINET, C. O método Natural III - a experiência da escrita. Lisboa: Estampa, 1977.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. Saberes necessários para a prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2009.

FREITAS, L. M.; GHEDIN, E. L. Narrativas de formação: Origens, significados e usos na pesquisa-formação de professores. Revista contemporânea de educação, v. 10, n. 19, pág. 111-131, 2015.

GUEDELHA, H. Uso do simulador PHeT e da experimentação como recursos facilitadores para o ensino de equilíbrio químico com alunos do ensino médio de uma comunidade ribeirinha do Baixo Rio Branco, Roraima. 2020. 101f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências) – Universidade Estadual de Roraima, 2020.

GOHN, M. G. Educação não formal e o educador social. Atuação no desenvolvimento de projetos sociais. São Paulo: Cortez, 2010.

JACOBUCCI, D. F. C. Contribuições dos espaços não formais de educação para a formação da cultura científica. Em extensão, Uberlândia v. 7, 2008.

KANTORSK, L. P. et al. Cidadania e o direito à saúde nos serviços residenciais terapêuticos. Revista de Enfermagem da UFSM, Santa Maria, v. 3, n. 2, p. 326-334, 2013.

KRASILCHIK, M. Prática de ensino de biologia, São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2004.

LAU, P. F. R.; CASTRO, P. M.; SOUSA FILHO. F.; MEDEIROS, I. S. Peripatéticos do século XXI: ensinando ciências no Bosque dos Papagaios. In: IX Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Águas de Lindoia, Atas. São Paulo, 2014.

MARANDINO, M. A biologia nos museus de ciências: a questão dos textos em bioexposições. Ciência e Educação. v. 8, n. 2, p. 187-202, 2002.

QUEIROZ, R.; TEIXEIRA, H.; VELOSO, A.; TERÁN, A. F.; QUEIROZ, A. G. A caracterização dos espaços não formais de educação científica para o ensino de ciências. Revista Areté, v. 4, n. 7, p. 12-23, abr. 2017. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/arete/article/view/20>. Acesso em: 10 abr. 2021.

SANTOS, S.C.S.; TERÁN, A.F. O uso da expressão espaços não formais no ensino de ciências. Revista Areté, Manaus, n. 11 p. 01-15, 2013.

SIQUEIRA, M. M.; MORAES, M. S. Saúde coletiva, resíduos sólidos urbanos e catadores de lixo. Cienc. Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, v. 14, n. 6, p. 2120, 2009.

SOUSA FILHO; GHEDIN, E; RIZZATTI, I. M.; MEDEIROS, I.; TINTORER, O.; FERREIRA, J. A formação de conceitos em ciências nas séries iniciais do ensino fundamental no zoológico do 7º BIS. In: IX Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Águas de Lindoia, Atas. São Paulo, 2014.

SOUSA, M. C.; GUIMARÃES, A. P. M.; AMANTES, A. A Saúde nos Documentos Curriculares Oficiais para o Ensino de Ciências: da Lei de Diretrizes e Bases da Educação à Base Nacional Comum Curricular. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências. v. 19, p. 129–153, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/4918. Acesso em: 10/04/2021.

TEIXEIRA, L.B. et al. Processo de compostagem, a partir de lixo orgânico urbano, em leira estática com ventilação natural. Embrapa (Circular Técnica, 33). Belém, 8 p. 2004.

Downloads

Publicado

12/03/2022

Como Citar

RIZZATTI, I. M.; LIMA, H. G. de; SOUSA, J. S.; CARDOSO, F. S. A. . Proposta de uma sequência didática para abordar os temas transversais saúde e cidadania com estudantes do ensino fundamental na Feira do Passarão, Boa Vista, Roraima. Ambiente: Gestão e Desenvolvimento, [S. l.], v. 14, n. 3, p. 13–20, 2022. DOI: 10.24979/ambiente.v14i3.1051. Disponível em: https://periodicos.uerr.edu.br/index.php/ambiente/article/view/1051. Acesso em: 1 jul. 2022.