APROVEITAMENTO DO RESÍDUO DE TANQUE DE PISCICULTURA NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE MAMOEIRO EM RORAINÓPOLIS

Autores

  • Daniely Karina de Oliveira Franciosi Rosa Universidade Estadual de Roraima
  • Danieli Lazarini de Barros Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Roraima - IFRR
  • Francisco Péricles Galúcio Aires Universidade Estadual de Roraima
  • Plínio Henrique Oliveira Gomide Universidade Estadual de Roraima

DOI:

https://doi.org/10.24979/154

Resumo

No Estado de Roraima, a fruticultura é limitada de informações consistentes, referentes ao potencial produtivo de mudas para exploração a campo. O objetivo do estudo foi avaliar o crescimento inicial de mudas e produção de biomassa de mamoeiro, produzidas a partir de resíduo proveniente de tanques de piscicultura. O experimento foi realizado em casa de vegetação utilizando como materiais para a composição dos substratos, solo de barranco (SB), resíduo proveniente de tanques de piscicultura (RP), substrato comercial - Vivatto (VT) e casca de arroz carbonizada (CAC). Os tratamentos (substratos) foram: T1= testemunha constituída pelo substrato comercial Vivatto, T2: 25% RP + 75% SB, T3: 50% RP + 50% SB, T4: 25% SB + 75% RP e T5: 100% RP, a todos os tratamentos foi adicionado CAC como condicionador dos substrato. Foi utilizado o delineamento inteiramente casualizado com 5 tratamentos e 5 repetições, totalizando 25 parcelas experimentais. As variáveis analisadas foram: número de folhas/planta, diâmetro do coleto (mm) com uso de paquímetro digital da marca Insize, altura da muda (cm) com uso de uma régua graduada em cm medindo a partir do coleto da muda até a gema apical, matéria fresca e seca da parte aérea e matéria seca e fresca de raiz após 60 dias do transplantio das plântulas. Observou-se que o tratamento T1 apresentou o maior número médio de folhas, maior produção de massa fresca e massa seca da parte aérea, e maior acúmulo de massa fresca e seca da raiz (P<0,05). Os piores resultados ocorreram para o tratamento com 25% de resíduo proveniente de tanques de piscicultura (T2), o qual apresentou a menor uniformidade das variáveis estudadas. A altura do caule das plantas de mamoeiro foi superior para os tratamentos T1 e para o T5 que incluiu resíduo de piscicultura. Desta forma, o substrato comercial apresentou respostas superiores as variáveis analisadas para a produção de mudas de mamoeiro bem como o resíduo de piscicultura, tornando-o uma boa alternativa para o aproveitamento deste resíduo para produção de mudas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniely Karina de Oliveira Franciosi Rosa, Universidade Estadual de Roraima

Acadêmica do Curso de Agronomia da Universidade Estadual de Roraima – UERR

Francisco Péricles Galúcio Aires, Universidade Estadual de Roraima

Professor do Curso de Agronomia da Universidade Estadual de Roraima

Plínio Henrique Oliveira Gomide, Universidade Estadual de Roraima

Professor do Curso de Agronomia da Universidade Estadual de Roraima

Downloads

Publicado

2018-12-07

Como Citar

FRANCIOSI ROSA, D. K. de O.; LAZARINI DE BARROS, D.; AIRES, F. P. G.; GOMIDE, P. H. O. APROVEITAMENTO DO RESÍDUO DE TANQUE DE PISCICULTURA NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE MAMOEIRO EM RORAINÓPOLIS. Ambiente: Gestão e Desenvolvimento, [S. l.], v. 11, n. 01, p. 120–136, 2018. DOI: 10.24979/154. Disponível em: https://periodicos.uerr.edu.br/index.php/ambiente/article/view/154. Acesso em: 24 jun. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)