APROVEITAMENTO DO RESÍDUO DE TANQUE DE PISCICULTURA NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE MAMOEIRO EM RORAINÓPOLIS

Autores

  • Daniely Karina de Oliveira Franciosi Rosa Universidade Estadual de Roraima
  • Danieli Lazarini de Barros Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Roraima - IFRR
  • Francisco Péricles Galúcio Aires Universidade Estadual de Roraima
  • Plínio Henrique Oliveira Gomide Universidade Estadual de Roraima

DOI:

https://doi.org/10.24979/154

Resumo

No Estado de Roraima, a fruticultura é limitada de informações consistentes, referentes ao potencial produtivo de mudas para exploração a campo. O objetivo do estudo foi avaliar o crescimento inicial de mudas e produção de biomassa de mamoeiro, produzidas a partir de resíduo proveniente de tanques de piscicultura. O experimento foi realizado em casa de vegetação utilizando como materiais para a composição dos substratos, solo de barranco (SB), resíduo proveniente de tanques de piscicultura (RP), substrato comercial - Vivatto (VT) e casca de arroz carbonizada (CAC). Os tratamentos (substratos) foram: T1= testemunha constituída pelo substrato comercial Vivatto, T2: 25% RP + 75% SB, T3: 50% RP + 50% SB, T4: 25% SB + 75% RP e T5: 100% RP, a todos os tratamentos foi adicionado CAC como condicionador dos substrato. Foi utilizado o delineamento inteiramente casualizado com 5 tratamentos e 5 repetições, totalizando 25 parcelas experimentais. As variáveis analisadas foram: número de folhas/planta, diâmetro do coleto (mm) com uso de paquímetro digital da marca Insize, altura da muda (cm) com uso de uma régua graduada em cm medindo a partir do coleto da muda até a gema apical, matéria fresca e seca da parte aérea e matéria seca e fresca de raiz após 60 dias do transplantio das plântulas. Observou-se que o tratamento T1 apresentou o maior número médio de folhas, maior produção de massa fresca e massa seca da parte aérea, e maior acúmulo de massa fresca e seca da raiz (P<0,05). Os piores resultados ocorreram para o tratamento com 25% de resíduo proveniente de tanques de piscicultura (T2), o qual apresentou a menor uniformidade das variáveis estudadas. A altura do caule das plantas de mamoeiro foi superior para os tratamentos T1 e para o T5 que incluiu resíduo de piscicultura. Desta forma, o substrato comercial apresentou respostas superiores as variáveis analisadas para a produção de mudas de mamoeiro bem como o resíduo de piscicultura, tornando-o uma boa alternativa para o aproveitamento deste resíduo para produção de mudas.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Daniely Karina de Oliveira Franciosi Rosa, Universidade Estadual de Roraima

    Acadêmica do Curso de Agronomia da Universidade Estadual de Roraima – UERR

  • Francisco Péricles Galúcio Aires, Universidade Estadual de Roraima

    Professor do Curso de Agronomia da Universidade Estadual de Roraima

  • Plínio Henrique Oliveira Gomide, Universidade Estadual de Roraima

    Professor do Curso de Agronomia da Universidade Estadual de Roraima

Downloads

Publicado

07/12/2018

Como Citar

APROVEITAMENTO DO RESÍDUO DE TANQUE DE PISCICULTURA NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE MAMOEIRO EM RORAINÓPOLIS. Ambiente: Gestão e Desenvolvimento, [S. l.], v. 11, n. 01, p. 120–136, 2018. DOI: 10.24979/154. Disponível em: https://periodicos.uerr.edu.br/index.php/ambiente/article/view/154.. Acesso em: 20 abr. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)