FESTIVAL PARALÍMPICO

PERCEPÇÕES DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA VOLUNTÁRIOS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24979/ambiente.v13i3.869

Palavras-chave:

Festival Paralímpico, Pessoas com deficiência, Formação acadêmica, Atuação profissional

Resumo

O Festival Paralímpico é coordenado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro – CPB e busca promover atividades esportivas adaptadas para crianças e jovens com e sem deficiência dos 10 aos 17 anos em todo o Brasil. Em 2019, o Festival reuniu cerca de 11 mil jovens em 70 cidades das 27 unidades da federação. As atividades são desenvolvidas por professores e acadêmicos voluntários de Educação Física. Dessa forma, o objetivo do estudo é descrever as percepções dos acadêmicos do Curso de Educação Física, que foram voluntários no Festival Paralímpico, em relação a contribuição deste evento para sua formação acadêmica e para as pessoas com deficiência que participaram do evento. Este estudo caracteriza-se como descritivo e exploratório, com abordagem qualitativa, sua amostra corresponde a 17 voluntários, de ambos os gêneros, que foram entrevistados por meio de um questionário estruturado com questões abertas. Observou-se que as principais contribuições para a formação dos acadêmicos foram: a possibilidade de aplicação prática dos conhecimentos e ainda, a ampliação desses. Também destacamos a percepção sobre as possibilidades das pessoas com deficiência que participaram do evento. Dessa forma consideramos fundamental a participação de acadêmicos de Educação Física em eventos desta natureza, sendo uma possibilidade de qualificar a futura atuação profissional e também, ampliar sua percepção sobre as potencialidades das pessoas com deficiência a partir da inserção no esporte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guido Yano Rodrigues Oliveira Barreto, Universidade Estadual de Roraima/UERR

Acadêmico de Licenciatura em Educação Física - UERR

Vinícius Denardin Cardoso, Universidade Estadual de Roraima/UERR

Doutor em Ciências do Movimento Humano - UFRGS, Professor Efetivo da Universidade Estadual de Roraima - UERR, Mestre em Actividade Física Adaptada pela Universidade do Porto/Portugal (FADEUP), Graduado no Curso de Educação Física da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), possui experiência na área de Esporte Paralímpico e Atividade Física para pessoas com deficiência. Membro pesquisador da Academia Paralímpica Brasileira-APB/CPB, Grupo de Pesquisa em Estudos Olímpicos e Paraolímpicos - GPEOP/UFS, Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Física e Esportes ? GEPEFE/UERR e Projeto Esporte Brasil (PROESP-Br - UFRGS)

Marcelo de Castro Haiachi, Universidade Federal de Sergipe/UFS

Doutor em Ciências do Movimento Humano da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2017), Mestre em Ciência da Motricidade Humana pela Universidade Castelo Branco (2007), Especialista em Desportos de Quadra, modalidade Voleibol pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2006), Especialista Gestão: Administração e Marketing pela Faculdades Integradas Maria Thereza (2004) e Graduado em Educação Física pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1999). Possui curso de Professor do Programa Shuttle Time pela Badminton World Federation (2013); curso de Formação de Técnico Iniciante em Badminton pela Federação de Badminton do Estado do Rio de Janeiro (2012) e curso de Treinador nível III pela Confederação Brasileira de Voleibol (2010).
Atualmente é Professor Adjunto da Universidade Federal de Sergipe ministrando as disciplinas Atividade Física Adaptada, Metodologia do Voleibol, Esportes de Raquete, Administração e Organização de Competição e Trabalho de Conclusão de Curso; Coordenador do Projeto Paradesportivo de Sergipe - PPdSE (2013 até a presente data); Consultor da Northern Virginia Volleyball Association - NVVA no Volleball Genome Project (2016 até a presente data); Consultor da Ballare Escola de Arte e Movimento na área Educacional e de Formação de Recursos Humanos (2020 até a presente data); Consultor do Move Gym by DED na área Metodológica; Membro do Núcleo de Ciências do Esporte - NCE da Confederação Brasileira de Badminton (2016 até a presente data); Membro honorário do Instituto de Investigação Olímpica pertencente à Academia Olímpica Mexicana / Comité Olímpico Mexicano; Membro pesquisador do Centro de Estudos Olímpicos e Paraolímpicos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - CEO / UFRGS (Linha de pesquisa em Gestão e Política de Esporte); do Projeto Esporte Brasil - PROESP (Linha de pesquisa em Exercício Físico para Grupos Especiais); do Centro de Pesquisas em Políticas Públicas de Educação Física, Esporte, Lazer e Esportes Adaptados do Estado de Sergipe - SCENARIOS e do Centro de Desenvolvimento de Pesquisas em Políticas de Esporte e Lazer de Sergipe - CDPPEL da Rede CEDES; Líder do Grupo de Pesquisa em Estudos Olímpicos e Paraolímpicos - GPEOP / UFS; Editor associado Cadernos Educação, Tecnologia e Sociedade (CETs).
Foi Pesquisador Associado do Grupo de Estudo em Eventos e Mega Eventos da Escola de Educação Física e Desportos da Universidade Federal do Rio de Janeiro registado no CNPq (2014); Bolsista da União Europeia pelo Projeto CARNiVAL da Coventry University (Reino Unido) em 2014; Bolsista do Projeto Referências para o Desenvolvimento do Plano Nacional de Esportes de Alto Rendimento no Brasil - UFRGS de 2014 - 2016.
Atuou como Coordenador de seleções e Diretor Técnico da Confederação Brasileira de Voleibol para Deficientes - CBVD (2017 a 2019), Coordenador do Parabadminton no II Jogos Paralímpicos Universitários (2017); Comentarista dos Jogos Paraolímpicos de Londres 2012 e Rio 2016 pelo canal esportivo SPORTV na modalidade voleibol sentado; foi Presidente da Federação Sergipana de Badminton (FSBd) na gestão 2011-2012 e Vice-Presidente da FSBd na gestão 2012-2016; Coordenador da variável infraestrutura esportiva do Diagnóstico Nacional do Esporte - DIESPORTE (2015); Coordenador de eventos esportivos para pessoas com deficiência mental (ARDEM) de 1995-2004; Treinador de voleibol masculino das categorias de base do Fluminense Football Club (2000-2009); Professor do Projeto Social VivaVôlei e responsável pela capacitação dos professores - CBV / Instituto VivaVôlei (1999-2009).
Tem experiência na área da Educação Física com ênfase na Performance Humana; na Avaliação das Variáveis Biofísicas; no Processo de Iniciação e Monitoramento Esportivo para crianças, jovens e adultos com e sem deficiência e na Capacitação de Recursos Humanos nas temáticas relacionadas a Carreira (orientação profissional), Network (rede de contatos), Finanças (Educação Financeira) e Negócios (espírito empreendedor).

Lucas Portilho Nicoletti, Universidade Estadual de Roraima/UERR

Licenciado em Educação Física pela Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo (1993). Mestre em Ciências da Motricidade pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2003). Doutor em Educação junto à Faculdade de Educação, na área de concentração Filosofia e História da Educação, eixo de pesquisa, estudo e trabalho Ética, Política e Educação e grupo de estudo PAIDEIA, da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP (2017). Pós-doutorado em andamento junto à Faculdade de Educação - UNICAMP (2020). Atualmente é professor do Curso de Licenciatura e Bacharelado em Educação Física da Universidade Estadual de Roraima. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em: Educação Física Escolar; Esporte; Criança e Infância; Legislação e Políticas da Educação Básica; Paulo Freire.

Referências

BRANCATTI, Paulo Roberto; PAROLA, Beatriz; CARRERA, Fernanda Cabrera. Iniciação desportiva aos alunos com deficiências. In: III Congresso Nacional de Professores e XIII Congresso Estadual Paulista sobre formação de professores, 2016, Àguas de Lindóia. São Paulo: PROGRAD UNESP, 2016. v. 01. p. 4836-4844.

Disponível em: < http://200.145.6.217/proceedings_arquivos/ArtigosCongressoEducadores/5866.pdf>. Acesso em: 12 de novembro de 2020.

CARDOSO, Vinícius Denardin. A reabilitação de pessoas com deficiência através do desporto adaptado. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. v.33, n.1,vp. 529-539, 2011.

CPB – Comitê Paralímpico Brasileiro. Festival Paralímpico 2019 bate recorde de participações em todo o país. 2019. Disponível em: <https://cpb.org.br/noticia/detalhe/2577/festival-paralimpico-2019-bate-recorde-de-participacoes-em-todo-o-pais >. Acesso em: 10 de abril de 2020.

DE SOUSA, Daiane Araújo; BARROSO, Mateus Lemos. A formação inicial docente em Educação Física a partir do Programa Residência Pedagógica: um relato de experiência. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades-Rev. Pemo, v. 1, n. 2, 2019. Disponível em:< https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/3570>. Acesso em: 14 de novembro de 2020.

EBC. Empresa Brasil de Comunicação. CPB realiza Festival Paralímpico, Rio de Janeiro, 24 de setembro de 2019. Disponível em: <http://agenciabrasil.ebc.com.br/esportes/noticia/2019-09/cpb-realiza-festival-paralimpico>. Acesso em: 10 de janeiro de 2020.

FONTANA, Maire Josiane; FÁVERO, Altair Alberto. Professor reflexivo: uma integração entre teoria e prática. Revista de Educação do IDEAU, v. 8, n. 17, 2013. Disponível em: <https://www.caxias.ideau.com.br/wp-content/files_mf/de946928fc01518999bb019ba65f89a830_1.pdf>. Acesso em: 12 de novembro de 2020.

GLOBO ESPORTE. Por inclusão social, alunos com e sem deficiência se reúnem em evento paralímpico. Boa Vista, Roraima, 23 de setembro de 2018. Disponível em: <https://globoesporte.globo.com/rr/noticia/por-inclusao-social-alunos-com-e-sem-deficiencia-se-reunem-em-evento-paralimpico.ghtml>. Acesso em: 10 de janeiro de 2020.

GONÇALVES, Wellington; GONÇALVES, Verana Maria Fornaciari; FIRME, Lilian Pittol. Formação e capacitação de docentes para atuar com alunos com deficiência auditiva: um estudo no Instituto Federal do Espírito Santo–IFES. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v. 24, n. 93, p. 866-889, 2016. Disponível em:< https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-40362016000400866&script=sci_arttext&tlng=pt>. Acesso em: 1º de novembro de 2020.

LOPES, Jéssica Fernanda; CAPELLINI, Vera Lúcia Messias Fialho. Escola Inclusiva: um estudo sobre a infraestrutura escolar e a interação entre os alunos com e sem deficiência. Cadernos de Pesquisa em Educação-PPGE-UFES, 2015. Disponível em:<https://www.academia.edu/download/44963977/644-129-PB.pdf#page=91>. Acesso em: 12 de novembro de 2020.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragem e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

MOURA, Walter Luiz et al. Importância da prática esportiva como meio de inclusão social para pessoas com deficiência mental na cidade de Montes Claros-MG. Motricidade, v. 8, n. S2, p. 613-623, 2012. Disponível em:< https://www.redalyc.org/pdf/2730/273023568073.pdf>. Acesso em: 14 de novembro de 2020.

NACIF, Marcella Fernandes Paticcié et al. Educação Física Escolar: Percepções do Aluno com Deficiência. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 22, n. 1, p. 111-124, 2016. Disponível em:< https://www.scielo.br/pdf/rbee/v22n1/1413-6538-rbee-22-01-0111.pdf>. Acesso em: 14 de novembro de 2020.

PANDA, Maria Denise Justo; PUGLIA, Marilia Basilio. Aptidão física de escolares com deficiência intelectual leve. Cinergis, v. 17, n. 2, 2016. Disponível em:< https://online.unisc.br/seer/index.php/cinergis/article/view/7723>. Acesso em: 12 de novembro de 2020.

PEREIRA, Ramon et al. Coordenação de esporte escolar do Comitê Paralímpico Brasileiro: projetos de massificação do esporte paralímpico nacional. In: OLIVEIRA, Ailton Fernando Oliveira; HAIACHI, Marcelo de Castro. (Org). V CICLO DE DEBATES EM ESTUDOS OLÍMPICOS E PARAOLÍMPICOS: O futuro dos jogos Olímpicos e Paraolímpicos. Florianópolis: Tribo da Ilha, p. 480-495, 2019.

ROSSETTI, Regina. Interação versus Integração: Linguagem e Comunicação em Bergson. Dossiê Comunicação e Filosofia, v. 16, n. 1, p. 59-75, jan./abr. 2013. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/eco_pos/article/viewFile/1166/1105 . Acesso em: 23 de novembro de 2020.

SCHMITT, Jessica Aline et al. Concepção de professores de Educação Física em relação à qualificação e atuação junto de alunos com deficiência. Conexões, v.13, n.1, p.1-19, 2015.

TELES, Perolina Souza; CRUZ, Cândida Luisa Pinto. A prática esportiva como instrumento de inclusão: um estudo de caso sobre aprendizagem e desenvolvimento de aluno com transtorno do espectro autista (TEA). Encontro Internacional de Formação de Professores e Fórum Permanente de Inovação Educacional, v. 11, n. 1, 2018. Disponível em: < https://eventos.set.edu.br/index.php/enfope/article/view/8954>. Acesso em: 19 de novembro de 2020.

TAVARES, Lídia Mara Fernandes Lopes; SANTOS, Larissa Medeiros Marinho dos; FREITAS, Maria Nivalda Carvalho. A Educação Inclusiva: Um estudo sobre a formação docente. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 22, n. 4, p. 527-542, 2016.

UERR. Festival Paralímpico no Campus de Excelência. Assessoria de Comunicação da Universidade Estadual de Roraima. Boa Vista, Roraima, 2019. Disponível em:<https://www.uerr.edu.br/festival-paralimpico-no-campus-de-excelencia/>. Acesso em: 10 de outubro de 2020.

Downloads

Publicado

2021-01-14

Como Citar

BARRETO, G. Y. R. O.; CARDOSO, V. D.; HAIACHI, M. de C.; NICOLETTI, L. P. FESTIVAL PARALÍMPICO: PERCEPÇÕES DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA VOLUNTÁRIOS. Ambiente: Gestão e Desenvolvimento, [S. l.], v. 13, n. 3, p. 38–46, 2021. DOI: 10.24979/ambiente.v13i3.869. Disponível em: https://periodicos.uerr.edu.br/index.php/ambiente/article/view/869. Acesso em: 2 mar. 2021.