FORMAÇÃO INICIAL DO DOCENTE EM TEMPO DE COVID-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24979/ambiente.v1i1.815

Palavras-chave:

Reflexões, História, Formação de professores, Pandemia

Resumo

Diante da pandemia do Covid-19 em que o mundo se encontra é imperativo repensarmos a formação docente e neste sentido o trabalho pretende analisar as construções históricas pedagógicas que o docente atravessa na sua formação inicial em direção a para a prática docente. Para tanto, a presente pesquisa tem como objetivo investigar e compreender os antigos e novos desafios nas dimensões acadêmicas, já que é fundamental alertarmos aos pesquisadores sobre a necessidade de discutir os estudos que fundamentam a educação e o trabalho docente. A metodologia do artigo foi pautada numa pesquisa bibliográfica, a partir de um levantamento específico de textos relacionados ao tema em questão. Concluímos que essa pesquisa possui informações relevantes sobre a formação do professor no campo da docência de forma articulada com o processo de investigação e ação, em suas práticas educativas, na busca de criar estratégias e superar desafios durante a pandemia do Covid-19.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia Kaine Pereira Alves Mineiro, Universidade Estadual de Roraima/UERR

Possui graduação em Licenciatura Plena em Educação Física pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Roraima (2011). Pós-graduação Lato Sensu PROEJA pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Roraima (2014). Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação do Mestrado Acadêmico da Universidade Estadual de Roraima / Instituto Federal de Roraima.(2019)

Lucas Portilho Nicoletti, Universidade Estadual de Roraima/UERR

Licenciado em Educação Física pela Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo (1993). Mestre em Ciências da Motricidade pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2003). Doutor em Educação junto à Faculdade de Educação, na área de concentração Filosofia e História da Educação, eixo de pesquisa, estudo e trabalho Ética, Política e Educação e grupo de estudo PAIDEIA, da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP (2017). Atualmente é professor do Curso de Licenciatura e Bacharelado em Educação Física da Universidade Estadual de Roraima. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em: Educação Física Escolar; Esporte; Criança e Infância; Legislação e Políticas da Educação Básica; Paulo Freire.

Rosangela Duarte, Universidade Federal de Roraima/UFRR

Curso de Instrumento - Piano do Conservatório Carlos Gomes - SP (1975); graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Roraima (1995), graduação em Fonoaudiologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (1983) e mestrado em Mestrado em Educação - Universidad Camilo Cienfuegos de Matanzas (2001). Doutorado em Educação (2010) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, sob a orientação da Profª. Drª. Esther Beyer. Professora aposentada do Colégio de Aplicação e do Centro de Educação da Universidade Federal de Roraima. Atua como professora colaboradora no Programa de Pós-graduação em Educação (Mestrado Acadêmico) da Universidade Estadual de Roraima e como professora permanente do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Roraima (Mestrado Acadêmico). Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Educação Musical, atuando principalmente nos seguintes temas: formação do professor; Educação Infantil: processo de ensino e de aprendizagem; educação musical, artes e cultura. É líder do Grupo de Pesquisa Criança, Educação e Arte - CREAR, UFRR/CNPq. Atualmente, faz parte do Comitê Editorial / Comitê científico do Fórum Latinoamericano de Educação Musical - Fladem - sessão Brasil; e, participa da diretoria da Associação Brasileira de Educação Musical como segunda tesoureira.

Referências

AGUIAR, Camila Silva de et al. Principais dificuldades dos Professores de educação física nos primeiros anos de docência: Elementos para (re) orientação das disciplinas de didática e prática de ensino do curso de licenciatura em Educação Física da UFU. Motrivivência, Minas Gerais, v. 17, n. 25, p. 38-55, dez. 2005.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996.

CARVALHO, Djalma Pacheco de. A Nova Lei de Diretrizes e Bases e a formação de professores para a educação básica. Ciênc. educ. (Bauru), Bauru, v. 5, n. 2, p. 81-90, 1998. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-73131998000200008&lng=pt&nrm=iso Acesso em 13 jul. 2020. https://doi.org/10.1590/S1516-73131998000200008.

DAY, Christopher. Desenvolvimento profissional de professores: os desafios da aprendizagem permanente. Porto, Portugal: Porto Editora, 2001.

FREIRE, Paulo. Professora sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Olho d’ Água, 2009.

GATTI, Bernadete Angelina. Formação de Professores no Brasil: características e problemas. Revista Educ. Soc., Campinas, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out-dez. 2010.

ILHA, Franciele Roos da Silva. O Professor Iniciante e a Educação Física Escolar: desafios que se somam. In: ANPED SUL – IX Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul, Caxias do Sul, 2012, p. 2-16.

LIBÂNEO, José Carlos. Tendências Pedagógicas na prática escolar. São Paulo: Loyola, 1992.

LIMA, Emília Freitas de. A construção do início da docência: reflexões a partir de pesquisas brasileiras. Cadernos de Educação. Santa Maria, v. 29, n. 2, p. 85-98, 2004.

NÓVOA, António. Formação de Professores e Profissão Docente. Aveiro: Universidade de Aveiro, 1991.

NÓVOA, António. Os Professores e a sua Formação num Tempo de Metamorfose da Escola. Educ. Real., Porto Alegre, v. 44, n. 3, e84910, 2019. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-62362019000300402&lng=en&nrm=iso. Acesso em 13 de jul. 2020. https://doi.org/10.1590/2175-623684910.

PRYJMA, Marielda Ferreira. WINKELER, Maria Sílvia Bacila. Da Formação Inicial ao Desenvolvimento Profissional Docente: análises e reflexões sobre os processos formativos. Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação Docente, Belo Horizonte, v. 06, n. 11, p. 23-34, ago./dez. 2014.

SAVIANI, Dermeval. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, v. 14, n. 40, p. 143-155, jan./abr. 2009.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico. 22. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

SILVA, Maria da Conceição Monteiro da. O primeiro ano de docência: o choque com a realidade. In: ESTRELA, M. T. (org.). Viver e construir a profissão docente. Colecção Ciências da Educação, n. 26, Porto: Porto Editora, 1997. p. 53-80.

SILVA, Joscimar Souza. Ensino remoto emergencial em contexto de pandemia. Site da Universidade Federal de Minas Gerais, 2020. Disponível em https://ufmg.br/comunicacao/noticias/ensino-remoto-emergencial-em-contexto-de-pandemia. Acesso em 13 de jul. de 2020.

TARDIF, Maurice. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. 5. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

ZEICHNER, Kenneth. Uma análise crítica sobre a “Reflexão” como conceito estruturante na Formação Docente. Revista Educ. Soc., Campinas, vol. 29, n. 103, p. 535-554, maio/ago. 2008.

Downloads

Publicado

16/09/2020

Como Citar

MINEIRO, F. K. P. A.; NICOLETTI, L. P.; DUARTE, R. FORMAÇÃO INICIAL DO DOCENTE EM TEMPO DE COVID-19. Ambiente: Gestão e Desenvolvimento, [S. l.], v. 1, n. 1, p. 98–109, 2020. DOI: 10.24979/ambiente.v1i1.815. Disponível em: https://periodicos.uerr.edu.br/index.php/ambiente/article/view/815. Acesso em: 17 ago. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)