A hipervulnerabilidade dos indígenas Warao no Norte do Brasil em tempos de pandemia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24979/ambiente.v14i2.962

Palavras-chave:

Warao, Vulnerabilidade, Linha abissal

Resumo

O povo indígena Warao, originário do litoral caribenho venezuelano, tem vivenciado uma situação de vulnerabilidade por décadas, ocasionada pelo exílio que lhe foi imposto a partir da segunda metade do século XX. A adaptação de suas práticas ancestrais ao meio ambiente urbano das médias e grandes cidades passou a ser para esse povo uma questão de sobrevivência. Um marco no processo de deslocamento dos Warao ocorreu em meados da segunda década do século XXI, quando eles, fugindo da crise humanitária que se ampliava na Venezuela, cruzaram a fronteira internacional ao sul e ingressaram no território brasileiro. Embora tenham encontrado assistência e abrigamento nos primeiros anos, também experimentaram situações de vulneração de sua condição sociocultural. Este artigo destaca a forma como a pandemia causada pelo novo coronavírus agravou a vulnerabilidade desse povo, tornando-os um coletivo especialmente propenso ao contágio pelo vírus, o que evidenciaria ainda mais a linha abissal imposta pela sociedade urbana aos povos indígenas

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACNUR – Agência da ONU para Refugiados. Coronavírus ameaça indígenas venezuelanos que buscam segurança no Brasil. Disponível em <https://www.acnur.org/portugues/ 2020/05/19/coronavirus-ameaca-indigenas-venezuelanos-que-buscam-seguranca-no-brasil/>. Acesso em 04 ago 2020.

BRIGGS, Charles L.; MANTINI-BRIGGS, Clara. Stories in the time of cholera: racial profiling during a medical nightmare. Berkeley: University of California Press, 2003. 430 p.

CASTILLO, Miguel Ángel. Los desafíos de la emigración centroamericana en el Siglo XXI. Amérique Latine Histoire & Mémoire, v. 7, 2013. Disponível em . Acesso em: 14 jan 2019.

D'AUBETERRE, Luis. La construcción discursiva de la otredad del “indio” en Ciudad Guayana: estudio de creencias y sentido común sobre los Warao indigentes urbanos. Athenea Digital, n. 12, p. 1-24, 2007.

GARCÍA-CASTRO, Alvaro. Wirinoko: el lugar donde se rema. Revista Bigott, n. 45, p. 100-118, abr-jun, 1998.

_______. Un asentamiento mixto Warao/criollo en el delta del Orinoco (Venezuela): El “barrio” indígena como estrategia de supervivencia. X Congreso de Antropología Iberoamericana. Salamanca, abr. 2005.

_______. Migración de indígenas Warao para formar barrios marginales en la periferia de las ciudades de Guayana, Venezuela. In: REPRESA PÉREZ, Fernando (coord.) (2006). De Quito a Burgos: Migraciones y Ciudadanías. Burgos, España: Editorial Gran Vía, 2006.

GARCÍA-CASTRO, Alvaro; HEINEN, Hans Dieter. Las Cuatro culturas Warao. Tierra Firme - Revista arbitrada de Historia y Ciencias Sociales, n. 71, p. 1-12, 2000.

GARNELO, Luiza. Política de Saúde Indígena no Brasil: notas sobre as tendências atuais do processo de implantação do subsistema de atenção à saúde. In: GARNELO, Luiza; PONTES, Ana Lúcia (Orgs.). Saúde Indígena: uma introdução ao tema. Brasília: MEC-SECADI, 2012. p. 18-59.

GASSÓN, Rafael; HEINEN, Hans Dieter. ¿Existe un Warao genérico?: Cuestiones clave en la etnografía y la ecología histórica del Delta del Orinoco y el territorio Warao-Lokono-Paragoto. Tipití: Journal of the Society for the Anthropology of Lowland South America, v. 10, n. 1, p. 37-64, 2012.

HEINEN, Hans Dieter; GARCÍA-CASTRO, Alvaro. Adaptación de recolectores indígenas a la mendicidad urbana: el caso de los Warao del Delta del Orinoco. VII Congreso Internacional de Antropologia Iberoamericana: Emigracion e Integracion Cultural, Salamanca, feb. 2002.

_______. Forasteros en su propia tierra – testimonio de los amerindios Warao. Caracas, Venezuela: Ediciones IVIC, 2008.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução: Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. 11 ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006. 104 p.

INE. Instituto Nacional de Estadística. Censo Nacional de Población y Vivienda. Ministerio del Poder Popular para los Pueblos Indígenas: Oficina de Gestión Comunicacional, 2012.

JACKSON, Luis; RODRÍGUEZ, Fidel. Condiciones de vida de la comunidad Warao de Playita del Volcán, estado Delta Amacuro. In: CAROSIO, Alba (org.). Tiempos para pensar - Investigación social y humanística hoy en Venezuela. Tomo II. Caracas, Venezuela: Clacso, 2015.

KRENAK, Ailton. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

LIZAMA, Mirian Solís; MOLA, Patricia Fortuny Loret de. Otomíes hidalguenses y mayas yucatecos. Nuevas caras de la migración indígena y viejas formas de organización. Migraciones Internacionales, v. 5, n. 4, jul./dez. 2010.

MAIDANA, Carolina Andrea. Migración indígena, procesos de territorialización y análisis de redes sociales. REMHU - Rev. Interdiscipl. Mobil. Hum., a. XXI, n. 41, p. 277-293, jul./dez. 2013.

MPF. Ministério Público Federal. Procuradoria Geral da República. Parecer Técnico/SEAP/6ªCCR/PFDC n. 208/2017. Sobre a situação dos indígenas da etnia Warao, da região do delta do Orinoco, nas cidades de Boa Vista e Pacaraima. 2017a. Disponível em <http://www.mpf.mp.br/atuacao-tematica/ccr6/documentos-e-publicacoes/eventos/docs/warao-1/pareceres-1/warao-parecertecnico-ultima-versao 67898-2017-compressed.pdf>. Acesso em: 12 set 2017.

_______. Parecer Técnico/SP/MANAUS/ SEAP n. 10/2017. Parecer Técnico acerca da situação dos indígenas da etnia Warao na cidade de Manaus, provenientes da região do delta do Orinoco, na Venezuela. 2017b. Disponível em: <http://www.mpf.mp.br/am/sala-de-imprensa/docs/ parecer-tecnico-warao>. Acesso em: 09 out 2017.

MONSMA, Karl. Racismo e Antirracismo: Ampliando o Debate. Sociologias, v. 17, n. 40, p. 14-32, dez. 2015.

NEVES, Lino João de Oliveira. Desconstrução da colonialidade: iniciativas indígenas na Amazônia. e-cadernos CES, n. 2, p. 1-7, 2008.

MUÑOZ, Jenny González. Mitos fundantes en la fuerza espiritual de los warao de Venezuela. Rev. Patrimônio e Memória, v. 10, n. 2, p. 91-106, julho-dezembro, 2014.

OIM - Organização Internacional para as Migrações. Aspectos jurídicos da atenção aos indígenas migrantes da Venezuela para o Brasil. Brasília: Organização Internacional para as Migrações (OIM), Agência das Nações Unidas para as Migrações, 2018.

ONU – Organização das Nações Unidas. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Paris, 10 de dezembro de 1948. Disponível em <https://nacoesunidas.org/wp-content/uploads/2018/10/ DUDH.pdf>. Acesso em: 19 jul 2018.

_______. Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas. Rio de Janeiro: Nações Unidas, 2008. Disponível em <http://www.un.org/esa/socdev/unpfii/ documents/DRIPS_ pt.pdf>. Acesso em: 23 ago 2017.

RODRIGUEZ, Juan Luis. The translation of poverty and the poverty of translation in the Orinoco Delta. Ethnohistory, v. 55, n. 3, p. 417-38, 2008.

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENEZES, Maria Paula (orgs). Epistemologias do Sul. Coimbra, Portugal: GC Gráfica de Coimbra, 2009.

SANTOS, Boaventura de Sousa. O fim do império cognitivo. A afirmação das epistemologias do Sul. Belo Horizonte, MG: Autêntica Editora, 2019.

_______. A cruel pedadogia do virus. Coimbra, Portugal: Editora Almedina, 2020.

SANTOS, Ricardo Ventura; COIMBRA Jr, Carlos E. A. Cenários e tendências da saúde e da epidemiologia dos povos indígenas no Brasil. In: COIMBRA Jr., Carlos E. A, SANTOS, Ricardo Ventura; ESCOBAR, Ana Lúcia, (orgs). Epidemiologia e saúde dos povos indígenas no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ; Rio de Janeiro: ABRASCO, 2005. 260 p.

SANTOS, Sandro Martins de Almeida; ORTOLAN, Maria Helena; SILVA, Sidney Antonio da. “Índios imigrantes” ou “imigrantes índios”? Os Warao no Brasil e a necessidade de políticas migratórias indigenistas. Trabalho apresentado na 31ª Reunião Brasileira de Antropologia, realizada entre os dias 09 e 12 de dezembro de 2018, Brasília/DF. Disponível em <https://www.31rba.abant.org.br/arquivo>. Acesso em: 15 fev 2019.

SIMMEL, Georg. O estrangeiro. RBSE, v. 4, n. 12, p. 265-271, dez. 2005.

SIMÕES, Gustavo da Frota (org). Perfil sociodemográfico e laboral da imigração venezuelana no Brasil. Curitiba, PR: Edit CRV, 2017.

SORNES, Beatriz. Condiciones de vida de la Población Warao en el Delta del Orinoco. Caracas: CESAP, 2013.

SOUZA, Júlia Henriques. Janokos brasileiros: uma análise da imigração dos Warao para o Brasil. Boletim Científico ESMPU, Brasília, a. 17, n. 52, p. 71-99, jul./dez. 2018.

TIAPA, Francisco. Las relaciones interétnicas entre los Warao de la frontera noroccidental del Delta del Orinoco durante la época colonial. Trocadero, v. 19, p. 215-28, 2007.

UNITED NATIONS. New York Declaration for Refugees and Migrants. New York, NY, 2016. (A/71/150). Disponível em: <https://www.un.org/ga/search/ viewdoc.asp?symbol= A/71/L.1&Lang=E>. Acesso em: 21 nov 2018.

YAMADA, Erika; OTERO, Guilherme Arosa; PRADO Junior, Manoel; TORELLY, Marcelo; BENDAZZOLI, Sirlene. Humanos, indígenas e migrantes: aspectos jurídicos da migração de indígenas da Venezuela ao Brasil. In: BAENINGER, Rosana; CANALES, Alejandro. Migrações fronteiriças. Campinas, SP: Núcleo de Estudos de População “Elza Berquó” – Nepo/Unicamp, 2018.

YESCAS, Carlos. Hidden in Plain Sight: Indigenous Migrants, Their Movements, and Their Challenges. The Online Journal of the Migration Policy Institute, 31 mar 2010. Disponível em <https://www.migrationpolicy.org/article/hidden-plain-sight-indigenous-migrants-their-movements-and-their-challenges>. Acesso em: 30 nov 2018.

ZÚÑIGA, Pilar Cruz. Pueblos indígenas, migración transnacional e identidades. retos y desafíos en la migración de los pueblos indígenas de Ecuador hacia España. Rev. Inter. Mob. Hum., Brasília, ano XVIII, n. 34, p. 81-98, jan./jun. 2010.

Downloads

Publicado

27/09/2021

Como Citar

ARAÚJO, J. L. P. de. A hipervulnerabilidade dos indígenas Warao no Norte do Brasil em tempos de pandemia. Ambiente: Gestão e Desenvolvimento, [S. l.], v. 14, n. 2, 2021. DOI: 10.24979/ambiente.v14i2.962. Disponível em: https://periodicos.uerr.edu.br/index.php/ambiente/article/view/962. Acesso em: 27 out. 2021.

Edição

Seção

Ciências Socialmente Aplicadas

Categorias