Análise sobre as mudanças para a Educação Física no Ensino Médio à luz da BNCC

Desafios na docência e para a formação de professores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24979/2bx9z245

Palavras-chave:

BNCC, Ensino Médio, Educação Física, Formação Docente

Resumo

Este artigo apresenta uma pesquisa que teve como objeto de estudo a Base Nacional Comum Curricular do Ensino Médio, tendo como direcionamento o problema de pesquisa: quais as mudanças que a BNCC promove para a Educação Física no Ensino Médio? Objetivando  analisar as mudanças que a Base Nacional Comum Curricular poderá promover para a Educação Física no Ensino Médio e suas implicações no exercício do magistério e para a formação docente, foi realizada uma pesquisa documental de análise qualitativa, sendo organizada em quatro categorias de análise a saber: a BNCC; o Ensino Médio; a Educação Física e a Formação Docente. Os resultados da pesquisa foram obtidos a partir das análises feitas sobre os documentos normatizadores e legislações específicas, entre os quais podemos destacar a Lei 13.415/2017; o Censo Escolar (2016 – 2019); a BNCC para o Ensino Médio e as DCN´s para os cursos de graduação em Educação Física. Com isso foi possível concluir que a BNCC exige que a Educação Física no Ensino Médio dialogue com esse jovem do século XXI, mostrando sua importância para o projeto de vida desses estudantes, e para tanto é indispensável que a formação de professores esteja alinhada com as demandas da escola.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Francisco Edson Pereira Leite, GEPEFRI/PGEDA/UFAM

    Profissional de Educação Física, Mestre em Ciências da Saúde pela UFRR com Especialização em Docência do Ensino Superior pela UERR. Atualmente é Conselheiro/Presidente da Comissão de Educação Física Escolar do Conselho Regional de Educação Física e Delegado da Federação Internacional de Educação Física. Professor de Educação Efetivo da Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Boa Vista e da Secretaria de Educação Cultura e Desportos de Roraima.

  • Doutor João Luiz da Costa Barros, GEPEFRI/FEFF/UFAM

    Graduado em Educação Física pela Universidade Federal do Amazonas - UFAM (1987). Bacharelando em Direito. Atuou como professor de Educação Física na Rede Pública Estadual, Municipal e Particular da Educação Básica por mais de 20 anos. Mestre em Educação Física pela Universidade Metodista de Piracicaba - UNIMEP/SP (2005). Doutor em Educação pela Universidade Metodista de Piracicaba - UNIMEP/SP (2012). Pós-doutor em Educação pela Universidade Estadual do Ceará - UECE (2019). É professor adjunto da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), atuando na Faculdade de Educação Física e Fisioterapia - FEFF/UFAM. Professor permanente nos cursos de pós-graduação stricto sensu em Educação - PPGE/UFAM, do Programa de Pós-Graduação Sociedade e Cultura na Amazônia - PPGSCA/UFAM e Programa de Pós-graduação em Educação na Amazônia - PGEDA- Doutorado em Educação na Amazônia, os quais ministra disciplinas obrigatórias e eletivas com orientações de dissertações e teses. Líder do Grupo de Pesquisa - GEPEFRI/CNPq: Educação Física e suas relações interdisciplinares. Participa dos colegiados de licenciatura e bacharelado em Educação Física - FEFF/UFAM. Tem experiência na área de Educação Física e Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: lúdico, escola, jogo e criança, Formação e identidade docente; Formação e Desenvolvimento Profissional em Educação e Educação Física. É membro titular do Comitê de Ética em Pesquisa - CEP/UFAM e foi membro da Comissão de ética em pesquisa da ANPEd (2020-2021). É docente aprovado no Banco Nacional de Avaliadores do Sinaes, do Ministério da Educação - MEC/INEP/e-mec/ BASIs com Habilitação para Duplo Perfil - Avaliações Institucionais credenciamento e recredenciamento. É coordenador de área da EaD Educação Física do Programa de Iniciação à Docência - PIBID/CAPES/UFAM (2020-2022). É avaliador ad hoc - Padcit/IFAM e da UFAC. Possui várias publicações de artigos científicos, capítulos de livros e livros autorais nas áreas das Ciências Humanas e Sociais. É vice-coordenador do Doutorado em Rede - Núcleo Manaus - PGEDA/UFAM/UFRR/UEA.

Referências

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Homologada pela Portaria n° 1.348, publicada no D.O.U. de 17/12/2018a.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Centro Gráfico, 1988.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996.

BRASIL. Lei nº 9.696, de 1 de setembro de 1998. Dispõe sobre a regulamentação da Profissão de Educação Física e cria os respectivos Conselho Federal e Conselhos Regionais de Educação Física. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2 set. 1998.

BRASIL. Nota Técnica CGOC/DESUP/SESu/MEC Nº 003/2010. Esclarecimento acerca de cursos de Educação Física nos graus bacharelado e licenciatura. 05 de agosto de 2010.

BRASIL. Parecer CNE/CP nº 7, de 04 de junho de 2019. Alteração do prazo previsto no Art. 22 da Resolução CNE/CP nº 2, de 1º julho de 2015, que define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2 jul. 2019.

BRASIL. Resolução CNE/CES nº 7, de 31 de março de 2004. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Educação Física, em nível superior de graduação plena. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 abr. 2004.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 1, de 18 de fevereiro de 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 9 abr. 2002a.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 2, de 19 de fevereiro de 2002. Institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da Educação Básica em nível superior. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 4 mar. 2002b.

BRASIL. Resolução nº 03 de 16 de junho de 1987. Fixa os mínimos de conteúdo e duração a serem observados nos cursos de graduação em Educação Física (Bacharelado e/ou Licenciatura Plena). Diário Oficial da União, Brasília, DF, 10 set. 1987.

BRASIL. Resolução nº 2, de 1º de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2 jul. 2015.

BRASIL. Resolução nº 6, de 18 de dezembro de 2018. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Educação Física e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 19 dez. 2018b.

CASAGRANDE, Ana Lara; ALONSO, Kata Morosov; SILVA, Danilo Garcia da. Base Nacional Comum Curricular e Ensino Médio: reflexões à luz da conjuntura contemporânea. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 19, n. 60, p. 407-425, janeiro/março, 2019.

COFFANI, Márcia Cristina Rodrigues da Silva; GOMES, Cleomar Ferreira. Reflexões sobre o fazer pedagógico nas aulas de Educação Física do Ensino Médio. Educação e Pesquisa. São Paulo, v.47, e229646, p. 1-20, 2021.

FREIRE, Paulo Reglus Neves. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários a pratica educativa. 25ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002

FREITAS, Luiz Carlos de. A reforma empresarial da educação: nova direita, velhas ideias. São Paulo: Expressão Popular, 2018.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GODOY, Arilda Schmidt. Pesquisa Qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, SP, v.26, n.2, p. 20-29, 1995.

LEITE, Francisco Edson Pereira; BARROS, João Luiz da Costa. Reflexões sobre o papel da Educação Física enquanto área de linguagens e suas tecnologias para o novo Ensino Médio à luz da BNCC. Concilium, [S. l.], v. 22, n. 3, p. 414–421, 2022.

METZNER, Andreia Cristina; DRIGO, Alexandre Janotta. A trajetória histórica das leis e diretrizes curriculares nacionais para a área de formação em Educação Física. Revista Brasileira de História da Educação, v. 21, p. 1-27, 2021.

METZNER, Andreia Cristina. Legislação sobre a formação em Educação Física no Brasil: formando professores ou profissionais? 2019. Tese (Doutorado em Ciências do Movimento) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Bauru, São Paulo, 2019.

NEIRA, M. G. A Educação Física nos documentos curriculares nacionais do Ensino Médio. In: MALDONADO, D. T.; NOGUEIRA, V. A.; FARIAS, U. S. (orgs.) Educação Física escolar no Ensino Médio: a prática pedagógica em evidência. Curitiba: CRV, 2018. p. 17-32

NICOLETTI, Lucas Portilho; NUNES, César Adriano Ribeiro; NICOLETTI, Arlete Guisso Scaramuzza Portilho. A Base Nacional Comum Curricular e a Educação Básica. Revista de Educação da Unina, [S. l.], v. 2, n. 2, p. 34-53, 2021.

RIBEIRO, Márden Pádua; ZANARDI, Teodoro Adriano Costa. O novo Ensino Médio e a liberdade de escolha. Educação, [S. l.], v. 45, n. 1, p. 1–20, 2020.

TUZZO, Simone Antoniaci; BRAGA, Claudomilson Fernandes. O processo de triangulação da pesquisa qualitativa: o meta fenômeno como gênese. Revista Pesquisa Qualitativa, São Paulo, SP, v.4, n.5, p. 140-158, 2016.

VÁRIAS ENTIDADES. Carta Aberta pela revogação da reforma do ensino médio (Lei 13.415/2017). Retratos da Escola, [S. l.], v. 16, n. 35, p. 667–682, 2022.

Downloads

Publicado

17/07/2023

Como Citar

Análise sobre as mudanças para a Educação Física no Ensino Médio à luz da BNCC: Desafios na docência e para a formação de professores. Ambiente: Gestão e Desenvolvimento, [S. l.], p. 20–44, 2023. DOI: 10.24979/2bx9z245. Disponível em: https://periodicos.uerr.edu.br/index.php/ambiente/article/view/54.. Acesso em: 20 abr. 2024.

Artigos Semelhantes

1-10 de 185

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.