O papel do migrante como sujeito da genealogia e dinâmica urbana do município de Rorainópolis – Roraima

Do início década de 1970 a década de 2020

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24979/ambiente.v14i1.361

Palavras-chave:

Rorainópolis, Migrantes, Rodovia BR-174 e PAD-ANAUÁ

Resumo

O presente artigo analisa o papel do migrante como sujeito da genealogia e dinâmica urbana do município de Rorainópolis na Amazônia setentrional, que emergiu no final da década de 1970, em consequência das políticas de ocupação que tiveram a migração como elemento central. Nessa situação, encontra-se a região Sul do Estado de Roraima, onde um pequeno aglomerado as margens da rodovia BR-174. Igualmente em 1979 marca instalação do Projeto de Assentamento Dirigido PAD-ANAUÁ, assinalando a consolidação do núcleo embrionário urbano de Rorainópolis. O referido órgão instala a sua sede neste espaço, e a partir desse momento o pequeno aglomerado passa a ser conhecido como Vila do INCRA, a partir de então, esse núcleo embrionário urbano recebeu grande incremento demográfico em virtude dos fluxos migratórios que se destinavam para esta porção Sul do Estado de Roraima, durante o final da década de 1970. Nesta trajetória, outro elemento que marca a história desse lugar se deu em 1995, quando a conhecida Vila do INCRA ganha status de cidade com o nome de Rorainópolis com a emancipação política do município. Neste contexto, o núcleo urbano de Rorainópolis, sua expansão urbana vem acontecendo, marcado pela carência de infraestrutura básica consolidando a perda de qualidade de vida de seus residentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roniel Vitor de Oliveira, Secretaria Estadual de Educação de Roraima – SEED/RR

Roniel Vitor de Oliveira, Secretaria Estadual de Educação – SEED/RR. Possui Graduação em Geografia – UEMA. É Especialista em Sistemas de Gestão Educacionais - UERR. Mestre em Geografia - UFRR. Professor de Geografia da Secretaria Estadual de Educação – SEED/RR

Referências

AMAZONAS, Comité da Verdade do. 1º Relatório do Comitê Estadual da Verdade. O genocídio do povo waimiri-atroari, Manaus, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo Escolar 2013. Disponível em: http://www.dataescolabrasil.inep.gov.br/dataEscolaBrasil/home.seam. Acesso em dezembro de 2013. Rever

DINIZ, Alexandre Magno. A dimensão qualitativa da mobilidade humana na fronteira agrícola de Roraima. Cadernos de Geografia. Belo Horizonte: , v.13, n.21, p.44 - 59, 2003.

_______. A evolução da fronteira em Roraima: o caso das Confianças I, II e III. In: ALVES, Cláudia Lima Esteves (Org.). Formação do espaço amazônico e relações

fronteiriças. Boa Vista: CCSG/UFRR, 1997. p. 47-91.

ESCOBAR, Maria da Conceição Sant´ana Barros. Populações tradicionais e as políticas públicas para a Amazônia: os Waimirí-Atroarí e a BR – 174. In.: ALVES, Cláudia L. E. (org). Formação do espaço amazônico e relações fronteiriças. Boa Vista/RR: UFRR, 1998. p. 209-230.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2000. Disponível em: . Acesso em: Fev. 2013.

_______. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010. Disponível em: . Acesso em: Fev. 2013.

_______. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades e Estados. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/rr/rorainopolis.html>. Acesso em: Fev. 2020.

INCRA, Instituto Nacional e Colonização e Reforma Agrária. Superintendência Regional do Estado de Roraima – SR (25). Resposta à solicitação de dados para elaboração de dissertação. Boa Vista/RR, 2013.

LIMA, Dvanes Freitas. As Injunções políticas na implantação do Território Federal o Rio Branco. 2011. 53p. (Monografia de Especialização). UFRR, Boa Vista, 2011.

MAGALHÃES, Maria das Graças Santos Dias, Amazônia, o extrativismo vegetal no sul de Roraima: 1943 - 1988. Boa Vista: Editora da UFRR, 2008. 215p.

MARTINS, José de Souza. Caminhada no chão da noite. Emancipação política e libertação nos movimentos sociais do campo. Ed. Hucitec, São Paulo, 1989.

_______. O tempo da fronteira retorno à controvérsia sobre o tempo histórico da frente de expansão e da frente pioneira. Tempo Social, revista de sociologia, USP, São Paulo, 8(1), 1996, 25 – 70 p.

_______. Expropriação e Violência. A questão política no campo. São Paulo: Hucitec, 1991.

_______. A militarização da questão agrária no Brasil. Petrópolis. Rio de Janeiro: Vozes, 1984.

PEREIRA, José Carlos Matos. Importância e significado das cidades médias na Amazônia: uma abordagem a partir de Santarém (PA). 2004. 139p. Dissertação (Mestrado em Planejamento do Desenvolvimento). Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, Universidade Federal do Pará, Belém. 2004.

RODRIGUES, Francilene dos Santos. “Garimpando” a Sociedade Roraimense: uma análise da conjuntura sócio-política. 1996, 134p. Dissertação (Mestrado Internacional em Planejamento do Desenvolvimento). Núcleo de Altos Estudos da Amazônia, Universidade Federal do Para, Belém. 1996.

ROCHA, Valcleia Barros. O Significado do “Novo” Urbano na Última Fronteira Amazônica. 2013. 143p. Dissertação (Mestrado em Geografia). Programa de Pós-Graduação em Geografia. Instituto de Geociências. Universidade Federal de Roraima, Boa Vista. 2013.

RORAINÓPOLIS. Prefeitura de. Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, Interior e Trânsito – SEMSIT. Dados obtidos para elaboração de croqui em 2013.

_________. Secretaria Municipal de Saúde-SEMSA. Dados obtidos para elaboração de croqui e habitantes por bairros em 2013.

SANTOS, Milton. Espaço e método. São Paulo: Nobel, 1997.

_______. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo: EDUSP, 2006.

_______. Técnica, espaço, tempo: globalização e meio técnico-científico informacional. 3ª ed. São Paulo: Hucitec, 1997.

_______. A urbanização brasileira. São Paulo: Hucitec, 1993.

SANTOS, Nelvio Paulo Dutra. Políticas Públicas, Economia e Poder: O Estado de Roraima entre 1970 e 2000. 2004. 271. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido). Núcleo de Altos Estudos Amazônicos. Belém: NAEA/UFPA, 2004.

SILVA, Paulo Rogério de Freitas. Dinâmica Territorial Urbana do Estado de Roraima – Brasil. 2007. 327p. Tese (Doutorado em Geografia Humana). Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana, Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

SINGER, Paul. Migrações internas: considerações teóricas sobre o seu estado. In: MOURA, Hélio de. (org.) Migração interna, textos selecionados. Fortaleza, BNB/ENTENE, 1980, p. 211-244.

_______. Economia política da urbanização. São Paulo: Brasiliense, 1973.

_______. Migração e metropolização. Revista São Paulo em Perspectiva, v. 1, n. 2, p. 28-31, 1987.

SOUZA, Carla Monteiro de. Gaúchos em Roraima. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2001. 106p.

SOUZA, João Mendonça de. A Manaus-Boa Vista (roteiro histórico). Manaus/AM: Imprensa Oficial do Estado do Amazonas, 1977. 370p.

TRINDADE JR, Saint-Clair Cordeiro da. Faces da urbanização na fronteira: a dinâmica

http://www.ieb.usp.br/publicacoes/doc/rieb51_1349289647.pdf. Acesso em fevereiro de 2013.

VALE, Ana Lia Faria. Imigração de Nordestinos para Roraima. In, Revista de Estudos Avançados. São Paulo: Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo, 2006.

VERAS, Antônio Tolrino de Resende. A Produção do espaço urbano em Boa Vista – Roraima. São Paulo, 2009. 235p. Dissertação (Doutorado em Geografia Humana). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana, Universidade de São Paulo.

Downloads

Publicado

2021-05-19

Como Citar

OLIVEIRA, R. V. de. O papel do migrante como sujeito da genealogia e dinâmica urbana do município de Rorainópolis – Roraima: Do início década de 1970 a década de 2020. Ambiente: Gestão e Desenvolvimento, [S. l.], v. 14, n. 1, p. 10–26, 2021. DOI: 10.24979/ambiente.v14i1.361. Disponível em: https://periodicos.uerr.edu.br/index.php/ambiente/article/view/361. Acesso em: 19 jun. 2021.