Produção de néctar e potencial para produção de mel de Acacia mangium Willd (Leguminosae, Mimosoideae) no Estado de Roraima

Autores

  • MADURO, Cice
  • SILVA, Sílvio
  • MACIEL, Edymeiko.
  • CABRAL, Gardênia

DOI:

https://doi.org/10.24979/bolmirr.v13i01.874

Palavras-chave:

Apis mellifera, apicultura, Brasil, Amazônia.

Resumo

Acacia mangium, espécie mellifera da família Mimosaceae, apresenta nectários extraflorais (NEFs) na base dos filódios. A produção de néctar é praticamente constante o ano todo. Esse néctar é utilizado como alimento para várias espécies de animais, principalmente insetos sugadores como as abelhas. Entre elas, as da espécie Apis mellifera que são as principais coletoras desse néctar extrafloral, que é conduzido as colmeias e transformado em mel. Este estudo teve como objetivo determinar o volume de néctar produzido e estimar o potencial para produção de mel dos NEFs em plantios de A. mangium no estado de Roraima. As coletas ocorreram nos meses de abril, maio, julho, setembro, novembro e dezembro de 2018. Foram examinados 764 NEFs em 30 árvores amostradas. Dos NEFs examinados, 292 continham néctar suficiente para a determinação do volume e do percentual de sólidos solúveis totais. Para a estimativa da produção de mel nos plantios de A. mangium em Roraima, levou-se em consideração o fato das abelhas consumirem cerca de 70 % do que coletam para seu sustento. Considerando a produção atual de mel de Roraima em 100 toneladas, isso corresponde a 0,25% do total teórico de 41 mil toneladas estimadas neste trabalho. Este fato demonstra que, a produção de mel pode ser multiplicada várias vezes e fomentar o desenvolvimento do mercado econômico local deste alimento.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Arquivos adicionais

Publicado

12/27/2020

Como Citar

MADURO, CICE; SILVA, SÍLVIO; MACIEL, EDYMEIKO.; CABRAL, GARDÊNIA. Produção de néctar e potencial para produção de mel de Acacia mangium Willd (Leguminosae, Mimosoideae) no Estado de Roraima. Boletim do Museu Integrado de Roraima (Online), Brasil, v. 13, n. 01, p. 01–17, 2020. DOI: 10.24979/bolmirr.v13i01.874. Disponível em: https://periodicos.uerr.edu.br/index.php/bolmirr/article/view/874. Acesso em: 24 jun. 2021.