Racismo ambiental: colonialidade na exploração territorial

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24979/bolmirr.v14i01.989

Palavras-chave:

Racismo ambiental; colonialidade; populações tradicionais.

Resumo

O presente artigo tem por pretensão relacionar o componente racial na ocupação destrutiva de territórios, assim como demonstrar a continuidade dos processos de expropriação de recursos naturais localizados em países da periferia do capitalismo nos projetos de desenvolvimento econômico. Através do conceito de racismo ambiental demonstrar-se-á que o crescimento econômico no contexto do que foi chamado de neoliberalismo, mostrou-se ser um modus econômico gerador de assimetrias sociais, com diversos níveis de desigualdades entre países e suas populações. Seus reflexos são visíveis nas formas de hierarquias nos modos de apropriação dos recursos naturais por instituições governamentais, jurídicas, econômicas, políticas e militares, afetando diretamente a qualidade de vida e segurança social de grupos étnicos, populações rurais e urbanas marginalizadas, com impactos diretos ao meio ambiente onde vivem populações tradicionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
https://racismoambiental.net.br/2017/03/14/o-que-e-racismo-ambiental/

Downloads

Publicado

07/10/2021

Como Citar

SOUZA, L. .; SILVA, C. . Racismo ambiental: colonialidade na exploração territorial. Boletim do Museu Integrado de Roraima (Online), Brasil, v. 14, n. 01, p. 15–21, 2021. DOI: 10.24979/bolmirr.v14i01.989. Disponível em: https://periodicos.uerr.edu.br/index.php/bolmirr/article/view/989. Acesso em: 2 ago. 2021.