ESPÉCIES FLORESTAIS COMERCIALIZADAS EM SERRARIAS DO MUNICÍPIO DE RORAINÓPOLIS

Autores

  • Solange Augusta Universidade Estadual de Roraima/UERR
  • Francisco das Chagas Universidade Estadual de Roraima/UERR
  • Fabiana Sousa Lins Universidade Estadual de Roraima/UERR
  • Vanessa de Andrade Silva Universidade Estadual de Roraima/UERR
  • Flávia Abreu Universidade Estadual de Roraima/UERR
  • Naianne Nogueira Ribeiro Cruz Universidade Estadual de Roraima/UERR
  • Ebelize Barros Universidade Estadual de Roraima/UERR
  • Weslley Wilker Corrêa de Moraes Universidade Estadual de Roraima/UERR
  • Everaldo Marques de Lima Neto Universidade Estadual de Roraima/UERR

DOI:

https://doi.org/10.24979/241

Palavras-chave:

Amazônia setentrional, Madeiras comerciais, Economia

Resumo

O objetivo desta pesquisa foi realizar o levantamento das principais espécies comercializadas nas serrarias de Rorainópolis-RR, a fim de subsidiar informações para futuros projetos  silviculturais com base nas espécies madeireiras de potencial econômico. O estudo foi desenvolvido em oito serrarias mediante entrevistas semiestruturadas. Foram observadas vinte e quatro espécies comercializadas nas serrarias de Rorainópolis-RR. Sendo as principais: Maçaranduba (Manilkara huberi Ducke), Angelim-ferro (Dinizia excelsa Ducke), Angelim-pedra  (Hymenolobium petraeum Ducke). A produção média das serrarias foi de 463,75 m3/mês. Observou-se que a madeira processada pelas serrarias no município é destinada à exportação, principalmente em âmbito nacional. Recomenda-se a realização de mais pesquisas sobre essas espécies para incentivar a implantação de projetos silviculturais, visando subsidiar a reposição florestal no sul do  Estado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-09-05

Como Citar

AUGUSTA, S.; CHAGAS, F. das; LINS, F. S.; SILVA, V. de A.; ABREU, F.; CRUZ, N. N. R.; BARROS, E.; MORAES, W. W. C. de; LIMA NETO, E. M. de. ESPÉCIES FLORESTAIS COMERCIALIZADAS EM SERRARIAS DO MUNICÍPIO DE RORAINÓPOLIS. Ambiente: Gestão e Desenvolvimento, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 66–72, 2016. DOI: 10.24979/241. Disponível em: https://periodicos.uerr.edu.br/index.php/ambiente/article/view/241. Acesso em: 24 jun. 2021.