A exposição da imprensa sobre a violência contra a mulher em Roraima

Uma análise comparativa entre os dados publicados no jornal Folha de Boa Vista e os atendimentos realizados pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24979/ambiente.v14i1.862

Palavras-chave:

Violência, Mulher, Feminicídio, Imprensa

Resumo

Este artigo discute a exposição da imprensa sobre a violência contra a mulher em Roraima, analisando comparativamente os dados publicados pelo Jornal Folha de Boa Vista e os atendimentos realizados pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM-RR), no ano de 2016. A relevância está na compreensão da violência contra a mulher como fruto de uma construção social androcêntrica, que favorece uma desigualdade que insiste em permanecer e que se manifesta, no limite, por meio de situações de violência. No estado de Roraima, por exemplo, em todos os meses de 2016 mais de 200 atendimentos foram feitos na DEAM-RR. Esses dados permitiram estabelecer o objetivo geral que foi confrontar as estatísticas dos atendimentos da DEAM-RR com as notícias publicadas no Jornal Folha de Boa Vista. Para alcançar o referido objetivo, utilizou-se a pesquisa bibliográfica e documental, com inquirição e análise de dados sobre violência contra a mulher na DEAM-RR e no Jornal Folha de Boa Vista. Os resultados revelaram uma discrepância quantitativa de casos sobre violência contra a mulher, uma vez que, enquanto a DEAM-RR ao longo do ano realizou 2.863 atendimentos, o Jornal Folha de Boa Vista noticiou apenas aproximadamente 89 casos. Para além, verificou-se um padrão na publicação de notícias sobre violências extremas. Destarte, esses casos extremos são apenas o estopim de um processo de violência que se iniciou de forma circunspecta. A violência contra a mulher, e sua expressão fatal (feminicídio) não é resultado de algo decorrente da noite para o dia.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adria Leidens, Universidade Estadual de Roraima/UERR

Graduada em Serviço Social pela Universidade Estadual de Roraima, Especialista em História da Amazônia pela Universidade Estadual de Roraima, Especialista em Serviço Social pela Faculdade Venda Nova do Imigrante e Mestre em Segurança Pública, Direitos Humanos e Cidadania pela Universidade Estadual de Roraima. E-mail: adria.aragao07@hotmail.com

Giseli Deprá, Universidade Estadual de Roraima/UERR

Graduada em História pela Universidade Estatual do Oeste do Paraná, Especialista em História pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Mestre em História, Região e Identidades pela Universidade Federal da Grande Dourados, e professora do curso de Licenciatura em História e Especialização em História da Amazônia, na Universidade Estadual de Roraima. E-mail: giselidepra@hotmail.com

Referências

BRASIL. LEI Nº 11.340. Cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher. Planalto, 2006. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11340.htm>. Acesso em: 25 fev. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Sistema de Informação de Agravos de Notificação – Sinan: normas e rotinas / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica. – 2. ed. – Brasília : Editora do Ministério da Saúde, 2007.

BRASIL. Ministério da Justiça e Cidadania. Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres. Norma técnica de padronização das delegacias especializadas de atendimentos às mulheres - DEAMs. spm, 2006. Disponivel em: <http://www.spm.gov.br/arquivos-diversos/publicacoes/publicacoes/normas-deams.pdf>. Acesso em: 21 abr. 2019.

COLLING, Ana Maria. TEMPOS DIFERENTES, DISCURSOS IGUAIS: A construção do corpo feminino na história. Dourados, MS: Ed. UFGD, 2014.

COMBUSTÍVEL, Mulher é agredida a socos em posto de. Jornal Folha de Boa Vista, Roraima, 01 ago. 2016. Disponível em: https://folhabv.com.br/noticia/Mulher-e-agredida-a-socos-em-posto-de-combustivel/18758. Acesso em: 20 abr. 2019.

CUNHA, Tamille. CRIME PASSIONAL, Mulher é morta no Jardim Primavera e principal suspeito é ex-marido. Jornal Folha de Boa Vista, Roraima, 19 dez. 2016. Disponível em: https://folhabv.com.br/noticia/Mulher-e-morta-no-Jardim-Primavera-e-principal-suspeito-e-ex-marido/23537. Acesso em: 20 abr. 2019.

Feminicídio : #InvisibilidadeMata / organização Débora Prado, Maria Sanematsu ; ilustração Ligia Wang ; (editor) Fundação Rosa Luxemburg. – São Paulo : Instituto Patrícia Galvão, 2017.

LEIDENS, Adria Aragão. O ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER EM BOA VISTA: uma análise sobre a efetividade da Lei Maria da Penha a partir da percepção dos profissionais que atuam na DEAM - Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher. Boa Vista, RR: UERR, 2017.

MATOS, Maria Izilda. Historia das Mulheres e Gênero: usos e perspectivas. Olhares Feministas / Hildete Pereira de Melo, Adriana Piscitelli, Sônia Weidner Maluf, Vera Lucia Puga (organizadoras). - Brasília: Ministério da Educação: UNESCO, 2009.

SAFFIOTI, H. A Mulher na Sociedade de Classes Mito e Realidade. São Paulo, Livraria Quatro A. 1969.

SILVA, Luciana Pereira da. O discurso da imprensa escrita recifense nas notícias de violência contra a mulher nos casos de “legítima defesa da honra”. Recife. PUC-PE. Dissertação de metrado, 2009.

SILVA, Luciana Soares da. A mulher na política: representação, gênero e violência no discurso jornalística. São Paulo. PUC-SP. Tese de doutorado, 2013.

TELES, M. A.; MELO, M. D. O que é Violência contra a Mulher. São Paulo: Brasiliense, 2003

WAISELFISZ, J. J. Mapa da violência 2015 homicídios de mulheres no Brasil. 1a. ed.

Brasília: Flacso Brasil, 2015.

Downloads

Publicado

2021-05-19

Como Citar

LEIDENS, A.; DEPRÁ, G. A exposição da imprensa sobre a violência contra a mulher em Roraima: Uma análise comparativa entre os dados publicados no jornal Folha de Boa Vista e os atendimentos realizados pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM). Ambiente: Gestão e Desenvolvimento, [S. l.], v. 14, n. 1, p. 80–90, 2021. DOI: 10.24979/ambiente.v14i1.862. Disponível em: https://periodicos.uerr.edu.br/index.php/ambiente/article/view/862. Acesso em: 19 jun. 2021.

Edição

Seção

Ciências Socialmente Aplicadas

Categorias