PERCEPÇÃO AMBIENTAL E A INFLUÊNCIA DA ESCOLARIDADE DE VENDEDORES AMBULANTES DO CENTRO HISTÓRICO NO MUNICÍPIO DE SÃO LUÍS – MA

  • Louise Nogueira Rodrigues Universidade Federal do Maranhão/UFMA
  • Claudia Thayse Machado Torres Faculdade Pitágoras
  • Emilly Gabrielle do Nascimento Abreu Universidade Federal do Maranhão/UFMA
  • Flavia Rebelo Mochel Universidade Federal do Maranhão/UFMA
Palavras-chave: Consciência Ambiental, Resíduos sólidos, Idade;, Nível Educacional

Resumo

A intensa urbanização verificada nos últimos anos tem exigido cada vez mais uma eficiente gestão socioambiental nos centros urbanos, onde em casos  negativos este aspecto pode influenciar sensivelmente os espaços públicos resultando na má qualidade de vida na cidade, ocasionando diversas doenças  provenientes da poluição gerada em centros urbanos, onde há a interação interculturais em um ambiente comercial e social. A rotina trabalhista influência direta ou indiretamente o ambiente do entorno, impactando a qualidade de vida dos mesmos, potencializando riscos à saúde pública, degradação ambiental, sem desconsiderar aspectos sociais, econômicos e administrativos. Desta forma, o presente estudo expõe a dinamicidade que a intensificação urbana pode gerar em  centros urbanos, inserindo a “categoria” de vendedores ambulantes como um agente pleno e influenciador, observando a percepção do indivíduo com o seu ambiente de trabalho na consciência ambiental e inferindo a influência do nível educacional e da idade, relacionando os efeitos que esta tem na percepção  socioeconômica e de que maneiras isso pode afetar a gestão pública e a qualidade de vida da população. Para o desenvolvimento do trabalho, o método  utilizado foi o exploratório e descritivo, pautado na aplicação de questionários priorizando a caracterização da consciência ambiental do vendedor ambulante e a influência dos dados de escolaridade e idade em sua percepção do meio. Entre outros instrumentos, foi utilizado o Quantum Gis 2.14 e imagem de satélite  Sentinel 2, sensor MSI , para mapear o deslocamento em raios que o ambulante faz diariamente de sua casa para o trabalho. Sendo assim com os dados gerados seria possível modelar uma gestão dos recursos e fomento de políticas públicas aplicáveis, isso pelo fato de detectar a compreensão do pensamento dos  indivíduos a fim de formular mecanismos que venham a promover tomadas de decisão voltadas à sensibilização da população estudada.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-04-18
Como Citar
Louise Nogueira Rodrigues, Claudia Thayse Machado Torres, Emilly Gabrielle do Nascimento Abreu, & Flavia Rebelo Mochel. (2020). PERCEPÇÃO AMBIENTAL E A INFLUÊNCIA DA ESCOLARIDADE DE VENDEDORES AMBULANTES DO CENTRO HISTÓRICO NO MUNICÍPIO DE SÃO LUÍS – MA. Revista Eletrônica Casa De Makunaima, 2(4), 96-104. Recuperado de https://periodicos.uerr.edu.br/index.php/casa_de_makunaima/article/view/686